Pier Paolo Cito/AP
Pier Paolo Cito/AP

Papa Bento XVI diz que Igreja está próxima aos doentes de aids

Pontífice afirma que suas rezas "se dirigem a cada pessoa atingida pela aids, especialmente as crianças"

Efe,

30 de novembro de 2009 | 10h16

O papa Bento XVI disse nesta segunda-feira, 30, que "a Igreja não para de prodigar para combater a aids através de suas instituições e do pessoal dedicado a isso", após a reza do Ângelus dominical na Praça de São Pedro, onde se reuniram cerca de 30 mil pessoas.

 

Veja também:

linkEstudo rejeita tese de que aids avança para o interior do Brasil

linkHIV atinge mais mulher na faixa dos 13 aos 19 anos

linkVítima de Aids é amplamente discriminada na China, diz OMS

 

Bento XVI, que lembrou "que em 1º de dezembro se celebra o Dia Mundial contra a Aids", disse que seu pensamento e suas rezas "se dirigem a cada pessoa atingida por esta doença, especialmente as crianças, os mais pobres e os que são rejeitados".

 

"Peço a todos para contribuir com a reza e com a atenção concreta, com o objetivo de que todos que forem atingidos pelo vírus HIV experimentem a presença do Senhor, que reconforta e dá esperança".

 

O papa espera que, com a multiplicação e coordenação dos esforços, "se consiga frear e enfraquecer esta doença".

 

Bento XVI abordou também a necessidade de esperança no mundo. "O mundo contemporâneo tem necessidade, principalmente, de esperança, tem necessidade dela os povos em vias de desenvolvimento e também aqueles economicamente evoluídos", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
PapaBento XVIaids

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.