Reuters
Reuters

Papa fala com tripulantes da ISS por videoconferência

Durante a conversa de 20 minutos, o pontífice disse que os astronautas inspiram para muitas pessoas

Efe

21 Maio 2011 | 10h02

Cidade do Vaticano - O papa Bento XVI conversou neste sábado por videoconferência a partir do Vaticano com os tripulantes da Estação Espacial Internacional (ISS) e demonstrou sua admiração pela coragem e o compromisso deles nas missões espaciais.

"Estou feliz com essa oportunidade extraordinária de conversar com os senhores nessa missão. Principalmente, sinto-me honrado. Neste momento, a humanidade atravessa uma época de grande progresso do ponto de vista do conhecimento científico e das aplicações tecnológicas", destacou Bento XVI.

"Os senhores representam essa tecnologia, com a qual desenvolvem a capacidade humana e as novas possibilidades do futuro, que tornam melhor nossa vida todos os dias", acrescentou.

No bate-papo que durou 20 minutos, transmitido ao vivo pela TV a partir da Biblioteca do Vaticano, o pontífice disse aos tripulantes, entre eles dois italianos, que eles servem de inspiração para muitas pessoas.

O pontífice fez cinco perguntas sobre diversos temas, entre estes a paz, o cuidado com o meio ambiente, a aventura espacial como forma de busca das origens da humanidade, assim como a mensagem que vão transmitir aos jovens quando retornarem à Terra.

Entre as questões, o papa, quem começou a conversa às 13h11 no horário local (8h11 de Brasília), perguntou também ao engenheiro italiano Paolo Nespoli, como tinha vivido a recente morte de sua mãe, a milhares de quilômetros de distância.

"Querido Paolo, sei que nos últimos dias sua mãe o deixou. Estamos todos perto de ti e rezamos por ti", disse Bento XVI, quem falou com os astronautas em inglês, exceto nesse último diálogo, que foi feita e respondida em italiano.

Nespoli declarou que as missões no espaço oferecem a vantagem de poder observar a Terra de cima, mas também tem o inconveniente de estar longe da família em momentos como a morte de algum familiar, embora tenha revelado que se sentiu muito próximo e confortado pelos companheiros.

Durante a conversa foi possível ver o outro astronauta italiano, Roberto Vittori, entregar a Nespoli a medalha com a imagem da criação do homem de Miguel Ângelo, que o papa deu a ele para que levasse ao espaço e que agora seu companheiro deverá trazer de novo à Terra.

O bate-papo estava previsto em princípio para o dia 4 de maio, mas foi adiado por motivos técnicos no lançamento da nave Endeavour, que realiza sua última missão.

Mais conteúdo sobre:
Papa espaço ISS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.