Massimo Parcossi/EFE
Massimo Parcossi/EFE

Papa Francisco mostra preocupação com aumento da violência doméstica durante pandemia de coronavírus

Pontífice dedicou oração para as mulheres e também pediu aos governantes que 'olhem para as pessoas e não para o dinheiro'

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2020 | 14h02

VATICANO - O papa Francisco dedicou suas orações nesta segunda-feira,13, às mulheres que estão na linha de frente contra a pandemia de coronavírus no mundo. Francisco também alertou para a possibilidade de aumento da violência doméstica neste período.

"Às vezes, elas correm risco de sofrer violência doméstica", comentou o pontífice, pedindo orações para as mulheres, para que "Deus lhes dê forças e que nossas comunidades possam apoiá-las junto com suas famílias", continuou.

Ele também ressaltou a importância do trabalho das mulheres na luta contra o coronavírus. "Incluindo neste momento de emergência médica, para cuidar dos outros: as médicas, enfermeiras, agentes da lei e de penitenciárias, funcionárias de lojas de artigos básicos... E muitas mães e irmãs que estão confinadas em casa com toda a família, com filhos, idosos e deficientes", disse.

Durante a missa na capela da sua residência, Casa Santa Marta, o papa também dedicou seu discurso aos cientistas e governantes. "Aos governantes, cientistas, políticos, que começaram a estudar a saída, a pós-pandemia, esse 'depois' que já começou: para que eles encontrem o caminho certo, sempre a favor do povo".

E pediu que as autoridades "pensem nas pessoas, e não no dinheiro".

"Para encontrar soluções para essa pandemia, a escolha será entre a vida, a ressurreição dos povos e o deus do dinheiro. Se o dinheiro for escolhido, o caminho da fome, da escravidão, guerras, fabricação de armas, crianças sem educação... aí está a sepultura".

Por causa das medidas de emergência devido à pandemia, a missa do Papa Francisco é celebrada sem os fiéis, mas é transmitida pelo Vaticano ao vivo pela Internet. A pandemia esteve presente em sua mensagem de Páscoa e em todas as homilias das celebrações da Semana Santa. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.