Papinhas têm muito sal e até pimenta, mostra estudo

As papinhas de legumes ainda são alternativa mais saudável aos hambúrgueres, biscoitos recheados e salgadinhos. Mas isso não quer dizer que elas sejam uma refeição saudável para um bebê faminto. A nutricionista Pérola Ribeiro, professora da Universidade São Francisco, em São Paulo, concluiu que as mães estão colocando muito sal - e até pimenta - nas papinhas. Pérola analisou em laboratório quatro tipos de refeições consumidas com mais freqüência por 60 crianças de classe média baixa de São Paulo - arroz, feijão e carne; arroz feijão e legumes; sopa de macarrão e salsicha e sopa de legumes.Apesar de todas as refeições serem preparadas pelas mães das crianças, que tinham de 7 a 18 meses de idade, raramente elas eram feitas exclusivamente para os pequenos. "A criança não pode consumir os mesmos condimentos que os adultos", diz a nutricionista. Segundo Pérola, não é necessário acrescentar sal aos alimentos das crianças de até dois anos de idade.Apenas nove mães preparavam papinhas exclusivas para os bebês. "Estas tinham uma maior quantidade de calorias e nutrientes e uma menor quantidade de sódio", diz Pérola. O que faltou nas piores papinhas, além das calorias, foi o ferro. A falta do elemento pode levar à anemia. A nutricionista constatou a doença em 36 das 60 crianças. Em outra fase do estudo, Pérola comparou as papinhas caseiras às industrializadas. Estas também apresentavam baixos índices de ferro, mas em compensação, traziam uma quantidade menor de sódio.Orientação nutricionalA tese de doutorado de Pérola Ribeiro mostra que as mães necessitam de orientação nutricional. "Algumas recebem dicas no posto de saúde, mas não colocam em prática por uma questão de tradição. Elas preferem ouvir os conselhos de parentes ou vizinhas", diz Pérola. Em curto prazo, os erros na alimentação infantil podem causar diarréia, desnutrição, obesidade, anemia. Em longo prazo, hipertensão, alergias, diabete entre outros. Outro alvo de ações educacionais de nutricionistas são as babás. "Em muitos casos, são elas quem levam educação nutricional às crianças", diz a nutricionista Aline Boukai, da Kanguruh Babás e Baby-sitters (www.kanguruh.com br).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.