Pará tem primeiro caso de dengue tipo 4

Amazonas e Roraima também notificaram sorotipo, contra o qual não temos imunidade

Agência Brasil

18 Janeiro 2011 | 19h12

BRASÍLIA - O Pará registrou o primeiro caso de dengue do vírus tipo 4. Um homem de 65 anos, morador do município de Santarém Novo, no nordeste do Estado, contraiu a doença. Ele ficou quatro dias internado em um hospital no município de Salinópolis. Além do Pará, Amazonas e Roraima notificaram casos desse sorotipo.

De acordo com nota técnica da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, o caso não tem relação com o surto de dengue tipo 4 identificado em Roraima, onde 18 pessoas foram infectadas desde o ano passado.

Segundo a secretaria, o homem não se deslocou para áreas com circulação desse vírus. Antes de adoecer, ele ficou alguns dias no distrito de Icoaraci, em Belém. Para a secretaria, trata-se de um caso autóctone, ou seja, contraído na própria capital paraense.

A ocorrência foi confirmada por meio de exames do Instituto Evandro Chagas, no Pará, unidade de referência do País nessa área. O instituto também descartou suspeitas no município de Abaetetuba.

O ministério e as secretarias estadual e municipais da Saúde já estão adotando medidas para reduzir as chances de novos casos desse tipo de dengue no Pará.

De acordo com autoridades do setor, o vírus tipo 4 não é mais perigoso que os sorotipos 1, 2 e 3. Todos apresentam os mesmos sintomas: dores de cabeça, no corpo e nas articulações, febre, diarreia e vômito. O tratamento também é idêntico. A dengue tipo 4, que não circulava há 28 anos no Brasil, preocupa porque a população não tem imunidade contra ela.

A Secretaria de Saúde do Amazonas confirmou na última segunda-feira a primeira morte de dengue no Estado em 2011. Não foi informado qual o tipo de vírus contraído pela vítima - uma mulher que havia sido internada no dia 13 em um hospital de Manaus. O Ministério da Saúde está investigando o caso.

Mais conteúdo sobre:
dengue dengue tipo 4 Pará Amazonas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.