Governo do Paraguai/
Governo do Paraguai/

Paraguai barra brasileiros com sintomas na Ponte da Amizade em Foz do Iguaçu

Agentes sanitários e do exército estão usando medidores de temperatura corporal para identificar pessoas com sintomas do Covid-19

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

15 de março de 2020 | 23h46

SOROCABA - Agentes sanitários do Paraguai, com o apoio de soldados do exército daquele país, estão barrando os brasileiros com sintomas de coronavírus que tentam entrar no país vizinho pela Ponte da Amizade, entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, na principal fronteira entre os dois países. A medida, consistente no controle da temperatura corporal das pessoas, foi intensificada neste domingo, 15, após a suspensão do serviço de balsas entre o marco das Três Fronteiras, no lado brasileiro, e a localidade paraguaia de Presidente Franco. A ponte, por onde circulam, em tempos normais, 40 mil veículos por dia, passou a ser a única ligação entre os dois países naquele trecho da fronteira.

Segundo o governo paraguaio, a medida tem como objetivo prevenir o avanço da pandemia do coronavírus no país. Além de pedestres com sintomas, a inspeção atinge também ocupantes de veículos de passeio e passageiros de ônibus. Somente neste domingo,15, cerca de 5,5 mil pessoas foram abordadas, segundo o Ministério do Interior do país. Cidadãos paraguaios que retornavam ao país após passagem pelo Brasil também eram submetidos ao teste. Quem apresentava temperatura acima de 37 graus era encaminhado para um centro de triagem para entrevista e, se fosse o caso, transferido para unidade de saúde, para a coleta de amostras para exames. No lado brasileiro, não havia o mesmo rigor na abordagem de quem chegava do Paraguai.

Até então, o controle da entrada de turistas no lado paraguaio da ponte internacional visava apenas aos chineses e passageiros procedentes da China que registravam a entrada no Departamento de Imigrações. De acordo com o governo do país vizinho, cerca de 400 soldados do exército auxiliam os agentes da 10ª Região Sanitária e da Cruz Vermelha paraguaia nessa ação preventiva na Ponte da Amizade. O controle deve continuar até o dia 25.

As medidas podem ser reforçadas nesta segunda-feira, 16, quando autoridades paraguaias se reúnem por vídeo conferência com representantes dos governos do Brasil, Argentina, Uruguai, Chile e Bolívia. O objetivo é definir um plano conjunto de ações. Em entrevista coletiva na tarde de sábado, 14, o presidente Mario Benítez afirmou que o país analisava fechar parcialmente suas fronteiras para reduzir a possibilidade de ingresso de pessoas infectadas pelo coronavírus. O governo paraguaio decretou outras medidas de prevenção ao coronavírus, como a suspensão de aulas em escolas e universidades.   O país tem sete casos confirmados da doença, mas não houve óbito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.