Wiki commons
Wiki commons

'Parte da dengue em São Paulo é falta d’água', diz Haddad

Declaração foi dada à Rádio Capital, em entrevista nesta terça-feira, em meio a críticas ao PSDB

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

01 Março 2016 | 16h58

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou que um dos motivos da proliferação do mosquito da dengue em São Paulo é a falta d'água. "A pessoa comprou uma caixa d'água nova, não tampou, não tem a cultura de armazenar água. Porque muita gente está tendo a primeira caixa d' água agora, porque nunca precisou. Aí compra, não tem a cultura de tampar", disse o prefeito em entrevista à  Rádio Capital na manhã desta terça-feira, 1º.

A crítica faz referência à crise hídrica que atingiu o Estado de São Paulo em 2014 e levou moradores a comprar caixas d'água para manter o abastecimento em momentos em que havia redução de pressão na rede. Uma das medidas tomadas pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB) foi a distribuição gratuita de caixas d'água a famílias carentes. 

O comentário foi feito em meio a uma série de críticas de Haddad ao PSDB e aos possíveis candidatos dos tucanos à Prefeitura de São Paulo. "Boa parte da dengue é causada pela falta d'água e eles não têm a humildade de reconhecer as falhas, não é?", disse, e em seguida fez críticas ao Metrô e à CPTM. 

Na última semana, o secretário municipal de Saúde Alexandre Padilha também já havia relacionado o cenário da falta d'água com o aumento da proliferação do Aedes aegypti. "O cenário de mais casos está relacionado com a falta d'água, o aumento da temperatura e a maior resistência do mosquito", disse na última semana, no dia em que a Prefeitura confirmou 5.877 casos suspeitos da doença, ante 2.406 em 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.