Bell et al/Divulgação
Bell et al/Divulgação

Parte do gelo da Antártica se forma em sua base, descobre pesquisa

Anteriormente pesquisadores acreditavam que manto de gelo se formava apenas por neve

Reuters e Agência Fapesp,

04 Março 2011 | 09h17

SÃO PAULO - Uma parte do manto de gelo da Antártica é formado pela água congelando novamente em sua base, não apenas pela neve que cai no topo como acreditavam até o momento os cientistas. As descobertas, descritas em um estudo publicado na revista Science desta sexta-feira, 4, devem ajudar na projeção dos efeitos das mudanças climáticas.

 

Veja também:

link Região ártica tem a maior concentração de mercúrio do planeta

link Separação de iceberg pode afetar padrões de circulação oceânica

link Verão mais quente pode diminuir velocidade de degelo na Groenlândia

 

A descoberta indica que a água que se desloca por vales de antigos rios, coberta por mais de 1 quilômetro de gelo, pode alterar a estrutura básica do manto. Mantos são estruturas de gelo que cobrem áreas de mais de 50 000 km². Além da Antártica, a Groenlândia tem um manto. Estruturas menores são chamadas de calotas.

 

Embora a água seja reconhecida há tempos como importante para a dinâmica de um manto de gelo - especialmente como lubrificante -, o novo estudo revela que a água basal pode modificar drasticamente essas estruturas.

 

Como se estima que as mudanças climáticas globais estejam afetando as estruturas geladas na Antártica, cientistas precisam entender como os mantos são formados de modo a poder avaliar com exatidão de que forma eles serão alterados.

 

 

O estudo é parte de um projeto conduzido por sete países com o objetivo de estudar uma das partes mais remotas na Antártica, conhecida como domo A.

 

Mantos de gelo crescem quando a neve que cai se acumula mais rapidamente do que desaparece, durante longos períodos de tempo, promovendo o engrossamento da estrutura e sua amplificação lateral. Mas, de acordo com o novo estudo, não é apenas assim.

 

Os cientistas verificaram que uma grande parte do gelo no domo A se acumulou pelo congelamento da água na parte de baixo do manto, em vez de por meio do acúmulo de neve na superfície. Ou seja, foi um crescimento de cima para baixo, diferentemente do que se acreditava.

 

Segundo a pesquisa, esse processo ocorre quando a água acumulada no fundo do manto é esfriada por convecção ou quando a água que passa por paredes de vales estreitos é resfriada, alterando as estruturas térmicas e cristalizadas da coluna de gelo bem como a topografia da superfície do manto de gelo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.