AP
AP

Parte do muro romano desmorona em Pompeia

A queda ocorreu nas imediações da chamada Porta Nolana, na muralha do sítio arqueológico da cidade

Efe

24 de outubro de 2011 | 09h15

 ROMA - Uma parte do muro romano de uma área arqueológica de Pompeia, na Itália, desmoronou provavelmente devido a problemas com infiltração de água.

 

A queda da murada ocorreu no fim da tarde desta sexta-feira, 21, nas imediações da chamada Porta Nolana, ao norte de Pompeia, na muralha do sítio arqueológico da cidade.

 

A parte do muro que caiu mede três metros de largura, por um metro e meio de altura. O local foi fechado ao público por segurança e para permitir uma avaliação dos danos e da reparação da mesma.

 

Em novembro de 2010, a Casa dos Gladiadores desmoronou totalmente, pouco depois de danos no pátio da Casa do Moralista e no início de dezembro caíram mais dois muros devidos ao excesso de chuvas na região naquele período.

 

A cidade de Pompeia, a 235 quilômetros ao sul de Roma, tradicional destino de férias, foi destruída no ano 79 d.C por uma forte erupção do vulcão Vesúvio, que também arrasou as localidades de Stabia e Ercolano, importantes sítios arqueológicos.

 

Durante séculos Pompeia permaneceu sepultada. Mas por ordem do rei Carlos de Borbón, o Carlos III da Espanha, as escavações foram iniciadas, processo que continua até os dias de hoje.

 

Metade da cidade, que chegou a abrigar uma população de 20 mil pessoas, segue ainda encoberta, afirmam os especialistas. 

Tudo o que sabemos sobre:
arqueologiaPompéiaItáliaromanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.