Nicholas Longrich/Yale University/Divulgação
Nicholas Longrich/Yale University/Divulgação

Pássaro pré-histórico usava asas como arma, revela estudo nos EUA

Xenicibis, um íbis que viveu há 10 mil anos na Jamaica, golpeava inimigos com ossos da 'mão'

estadão.com.br

05 Janeiro 2011 | 16h44

NEW HAVEN, CONNECTICUT - Muito antes de cavaleiros medievais da Europa manusearem um mangual (instrumento formado por um pau comprido ao qual se prendem pequenos toros) ou lutadores marciais desferirem golpes com nunchaku (dois bastões ligados por uma corrente), uma ave pré-histórica que não voava usava as asas como um tipo semelhante de arma de combate.

 

 

Paleontólogos da Universidade Yale e do Instituto Smithsonian, ambos nos Estados Unidos, descobriram que o pássaro Xenicibis, membro da família íbis que viveu há cerca de 10 mil anos e só foi encontrado na Jamaica, provavelmente utilizava suas asas especializadas como um mangual, balançando a parte superior do "braço" e golpeando inimigos com os ossos grossos da "mão".

 

 

"Nenhum animal jamais desenvolveu algo assim", disse Nicholas Longrich, de Yale, que liderou a pesquisa. "Não sabemos de nenhuma outra espécie que tenha usado o corpo como um mangual. É o armamento mais especializado de todas as aves que já vi", revela.

 

 

Como parte do novo estudo, os autores analisaram uma série de esqueletos parciais de Xenicibis recém-descobertos e chegaram à conclusão de que as asas eram drasticamente diferentes de tudo o que já tinham visto antes. "Quando observei os ossos pela primeira vez, achei que era algum tipo de deformidade. Ninguém podia acreditar que aquilo era de fato assim, bizarro", contou Longrich.

 

 

O pássaro, que tinha o tamanho de uma galinha grande, é anatomicamente similar a outros membros da família íbis, exceto pelas asas, que têm ossos grossos e curvados nas "mãos" - ao contrário de qualquer outra ave conhecida. O Xenicibis também tinha um osso do peito e asas muito maiores que os de outros pássaros que não voam. "Esse foi o primeiro indício de que as asas ainda estavam sendo usadas para alguma coisa", afirmou o pesquisador.

 

 

Enquanto outras aves são conhecidas por bater ou martelar umas às outras com suas asas, o Xenicibis é o único animal conhecido por ter usado as "mãos", articuladas nas juntas do pulso, como dois bastões de beisebol para golpear e balançar seus oponentes.

 

 

Apesar de os íbis atuais não conseguirem atingir os inimigos dessa forma, eles são muito territoriais e, muitas vezes, lutam com outros da mesma espécie por direitos de alimentação e reprodução.

 

 

Também é possível que o pássaro pré-histórico empregasse as asas para se defender contra outras espécies que tentavam caçar seus ovos ou filhotes. Algo muito incomum no Xenicibis é o fato de ele ter se tornado incapaz de voar mesmo no meio de numerosos predadores, incluindo a cobra boa amarela da Jamaica, um pequeno macaco extinto e mais de uma dúzia de aves de rapina.

 

 

A equipe descobriu, ainda, evidências de combate em dois dos ossos da asa da ave, incluindo um osso da "mão" fraturado e um osso de 1 centímetro de espessura na parte superior do "braço" que foi quebrado ao meio. Segundo Longrich, esses danos são a prova da força extrema que esses animais foram capazes de exercer com suas asas especializadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.