Reprodução Facebook
Reprodução Facebook

Pelo Natal, prefeito contraria plano estadual e mantém comércio aberto 13 horas em Rio Claro

Programa do governo paulista limita funcionamento a dez horas diárias; restrição tem objetivo de frear casos de covid

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2020 | 20h34

SOROCABA - O prefeito de Rio Claro, Juninho da Padaria (DEM), decidiu não seguir o Plano São Paulo e manter o horário ampliado para o comércio na cidade do interior devido às festas natalinas. A partir de sexta-feira, 4, as lojas poderão funcionar de forma ininterrupta por até 13 horas diárias. O comércio geral vai funcionar das 9 às 22 horas, mas nos shopping centers, nos dias que antecedem o Natal, o funcionamento será até as 23 horas.

O Plano São Paulo limita o funcionamento do comércio a 10 horas diárias, com fechamento obrigatório às 22 horas, conforme decreto do governador João Doria (PSDB) publicado no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira, 1. Rio Claro não está na relação de cidades com alerta para o reforço no controle da pandemia de covid-19. O prefeito disse que a cidade tem capacidade hospitalar para atender os casos do novo coronavírus. “Nós mantivemos o hospital ativo com 23 leitos de UTI e temos condições de atender, mas se houver evolução da doença, vamos rever as medidas.”  

Em novembro, Rio Claro teve aumento de 20,8% nos casos de covid-19, na comparação com outubro – o número subiu de 306 para 366. As mortes permaneceram no mesmo patamar, sendo 6 em outubro e 6 em novembro. Nas eleições municipais de novembro, Juninho concorreu a um novo mandato, mas não foi reeleito.

O secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi, disse que a prefeitura de Rio Claro também deve cumprir as regras contidas no Plano São Paulo. Segundo ele, o governo de São Paulo tem tomado as medidas necessárias para o controle da covid-19 por meio dos diálogos com os gestores municipais e o cumprimento das normas é essencial para resguardar a saúde da população.

Outras cidades do interior optaram por acompanhar o Plano São Paulo, depois de registrar aumento no número de casos e mortes pela covid-19 em novembro. Sorocaba registrou 52 mortes no mês passado, 30% a mais do que as 40 confirmadas em outubro. O número de óbitos vinha em queda desde julho, quando foi registrado o pico de 128 óbitos. Em agosto tinham sido 100 e em setembro, 44.

O número de casos confirmados subiu 13,4% de outubro para novembro, passando de 2.275 para 2.580 novos casos. O pico também foi em julho, com 5.383 casos positivos. Nesta terça-feira, 1, o Hospital Regional Adib Jatene voltou a ter 100% dos leitos de UTI para covid-19 ocupados – os dez leitos disponíveis tinham pacientes. Na Santa Casa, o índice de ocupação dos 40 leitos de UTI era de 87,5%.

Em Jundiaí, o comércio passou a funcionar com o horário ampliado de Natal justamente nesta terça-feira, 1. As lojas abriram das 8 às 22 horas, com funcionamento de até 14 horas ininterruptas, mas devem atender às novas regras a partir desta quarta, 2. Na segunda-feira, 30, o prefeito Luiz Fernando Machado (PSDB) determinou que o comércio cumpra as novas determinações do Plano São Paulo, podendo funcionar durante 10 horas, de forma direta ou fracionada.  

O presidente da Associação Comercial e Empresarial, Mark Willian Monteiro, lamentou o retrocesso de fase no momento em que o comércio já se preparou para as vendas de Natal. “Não é o comércio que estimula a aglomeração, ao contrário, quanto mais horas as lojas ficam abertas, mais é possível pulverizar o atendimento”, disse, em nota. No sábado, 5, Machado vai se reunir com os colegas atuais e os prefeitos eleitos das seis cidades que compõem a Aglomeração Urbana de Jundiaí para definir novas ações de combate ao novo coronavírus, sem prejuízo das atividades econômicas.

O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), marcou reunião com representantes do comércio e hotelaria para discutir as novas restrições. “Chegaremos a um consenso e cumpriremos as regras. Com diálogo e a união de todos, teremos mais êxito nesse enfrentamento”, disse. O decreto deve ser publicado nesta quarta.

O "repique" da covid-19 acontece em quase todas as regiões. Em São José do Rio Preto, com as quatro mortes confirmadas nesta terça, a cidade está próxima dos 800 óbitos durante a pandemia – o número chegou a 796. O número de casos positivos chegou a 29.556. Em Campinas, foram confirmadas mais cinco mortes, elevando o total para 1.378. Já o número de casos chegou a 43.439, com 396 incluídos nesta terça-feira.

Em Ribeirão Preto, levando em conta a retomada da pandemia, a organização da Agrishow, maior feira de tecnologia para o agronegócio do País, anunciou uma nova transferência do evento. Cancelada em 2020 por causa da pandemia, a 27ª edição da feira havia sido remarcada para o fim de abril de 2021. Agora, o evento será realizado de 21 a 25 de junho. Na última edição, em 2019, a Agrishow movimentou R$ 2,9 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusRio Claro [RJ]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.