Pequeno derrame 'pode ser alerta para um maior'

Estudo revela que 23% dos derrames são precedidos por um outro pequeno derrame.

BBC Brasil, BBC

12 de novembro de 2007 | 10h10

Pesquisadores da Universidade de Oxford descobriram que pessoas que passaram por um miniderrame têm um risco significativo de sofrer um derrame grave na semana posterior ao ataque. Segundo os cientistas, um em cada 20 pacientes que sofreram um miniderrame, conhecido como ataque isquêmico transitório (TIA, na sigla em inglês), acaba por ter um derrame maior na semana seguinte.O estudo, realizado pela Unidade de Prevenção de Derrames da universidade e publicada na revista científica Lancet Neurology, analisou 18 estudos envolvendo mais de 10 mil pacientes. Os resultados apontam que o risco do paciente que passou por um acidente isquêmico transitório ter um derrame em sete dias é de 5,2%. Para Joe Korner, da organização Stroke Association, "o TIA é apenas um alerta de que um derrame maior está a caminho". O estudo revela que 23% dos derrames são precedidos de um ataque isquêmico transitório. De acordo com os pesquisadores, "os resultados mostram que o ataque transitório (TIA) é uma emergência médica que precisa ser atendida em clínicas especialistas para que o derrame possa ser prevenido". A pesquisa aponta ainda que o risco de um derrame maior após o TIA diminui em 0,9% em pacientes que foram tratados com médicos especialistas após o pequeno derrame. "As pessoas normalmente ignoram os sintomas do derrame se eles não duram muito tempo", afirma Korner. "É vital que qualquer pessoa que sofra de um TIA se consulte com um especialista depois do ataque", alerta.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.