Caren Firouz/Reuters
Caren Firouz/Reuters

Perda do olfato pode ser um indício peculiar de infecção por coronavírus

Pessoa com perda de olfato ou paladar pode ser portadora do vírus mesmo sem qualquer outro sintoma

Roni Caryn Rabin, The New York Times

24 de março de 2020 | 11h00

Uma mulher infectada pelo coronavírus não consegue sentir o cheiro da fralda suja do seu bebê. Os cozinheiros que normalmente usam todo o tipo de condimento e conhecem todos os que são usados num prato não conseguem sentir o cheiro de curry ou alho ou a mistura de sabores da comida. Outros dizem que não sentem o perfume do xampu de cabelo ou o odor dos detritos do seu gatinho.

Anosmia, a perda do olfato, e ageusia, uma perda ou diminuição do paladar, que o acompanha, são sinais peculiares possíveis indicadores da covid-19, doença causada pelo coronavírus.

Na sexta-feira, médicos otorrinolaringologistas britânicos, citando informes de colegas em todo o mundo, pediram para adultos que observarem uma perda de olfato para se isolarem por sete dias, mesmo se não notarem outros sintomas, para evitar a propagação da doença. Os dados publicados são limitados, mas os médicos estão preocupados o bastante para darem esse alerta.

“Queremos chamar atenção para o fato de que este é um sinal de infecção e que qualquer pessoa que perde o olfato deve se isolar”, disse a professora Claire Hopkins, presidente da British Rhinological Society, em um email.  “Isto pode contribuir para reduzir a transmissão e salvar vidas”.

Ela e Nirmal Kumar, presidente da ENT UK, grupo que representa os médicos otorrinos na Grã-Bretanha, emitiram um comunicado conjunto insistindo para os agentes de saúde usarem equipamentos de proteção pessoal quando tratarem qualquer paciente que reclamar de perda do olfato e desaconselharam qualquer procedimento de endoscopia nasal não essencial porque o vírus se multiplica no nariz e na garganta e um exame pode provocar tosse ou espirros que expõem o médico a um alto nível do vírus.

Dois otorrinolaringologistas britânicos que foram infectados estão em estado crítico, disse a médica. Notícias anteriores de Wuham, na China, onde surgiu o coronavírus, alertavam que muitos médicos especialistas em nariz, ouvidos e garganta, como também oftalmologistas, foram infectados e morreram.

Os médicos britânicos citam notícias de outros países indicando que um número importante de pacientes de coronavírus reclamou de anosmia, e dizendo que na Coreia do Sul, onde os testes foram abrangentes, 30% dos dois mil pacientes que testaram positivo para a doença tinham como sintoma mais importante a anosmia (esses foram casos leves).

No sábado, a Academia Americana de Otorrinolaringologia postou informação em seu website dizendo que evidências episódicas indicam que a perda ou redução do olfato e do paladar são sintomas significativos associados à covid-19 e têm sido observados em pacientes sem nenhum sintoma que acabaram sendo testados positivos.

A Dra. Rachel Kaye, professora de otorrinolaringologia na Rutgers, disse a colegas em New Rochelle, Nova York, que tem sido o centro do surto, que o que chamou sua atenção para a perda de olfato associada ao coronavírus foi que pacientes que se queixaram de anosmia depois foram testados positivos. “Isto me alarmou pessoalmente”, disse a médica, porque esses pacientes “não sabem que devem se manter em quarentena”.

“Muitos departamentos de otorrinolaringologia por si próprios tentaram dar a devida proporção”, disse ela, acrescentando que o seu departamento na Rutgers já começou a usar equipamento de proteção e deixando de realizar exames não essenciais.

Nas regiões da Itália mais afetadas pelo vírus, os médicos concluíram que a perda de olfato e do paladar tem sido um sinal de que uma pessoa que, do contrário parece saudável, ser na verdade portadora do vírus e pode estar propagando a doença para outras pessoas.

“Quase todos os hospitalizados têm a mesma história”, disse o Dr.Marco Metra,  chefe do departamento de cardiologia no principal hospital de Brescia, onde 700 dos 1.200 pacientes estão com o coronavírus. “Se você pergunta sobre a mulher ou o marido do paciente, eles dizem ‘minha mulher perdeu o olfato e o paladar, mas está bem’. De modo que ela provavelmente está infectada na forma mais leve, mas está propagando o vírus”.

Vários pacientes americanos que tiveram sintomas persistentes do coronavírus, mas não foram testados ou aguardam resultados do teste, descreveram uma perda de olfato e do paladar, embora o nariz estivesse limpo e não congestionado.

Andrew Berry, 30 anos, sentiu dores no corpo e teve febre há 10 dias e depois garganta inflamada e fortes dores de cabeça. Ele testou negativo para a influenza e não tem ainda o resultado do teste do coronavírus, mas seu médico estava convencido de que ele estava com o vírus.

Agora, disse ele, não sente mais o cheiro do café. “Mesmo com o nariz descongestionado percebi que não sinto o cheiro da comida que estou cozinhando”, disse Berry, que é tatuador e vive em Orlando, na Flórida. Ele estava preparando um prato com plátano, cebolas e vinagre, mas não sentia o cheiro.

Amy Plattmier, que mora no Brooklyn, não fez o teste do coronavírus durante uma doença recente, mas seu marido depois adoeceu e testou positivo. Ela disse que normalmente tem um bom olfato, mas agora mal consegue sentir algum cheiro – nem o da água sanitária que estava usando para limpar o balcão, ou mesmo a sujeira do seu cão no banheiro, que ela havia limpado.

Berry também emagreceu porque está sem apetite. “Espero que não tenha um efeito prolongado. Acho que isto muda a qualidade de vida”. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusPaladarOlfato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.