José Cruz/Agência Brasil -26/3/2019
José Cruz/Agência Brasil -26/3/2019

Perto de colapso em UTIs, DF terá lockdown total a partir deste domingo

Índice de ocupação de leitos críticos é de 98% nesta sexta-feira. Governo prepara decreto que detalhará as novas medidas

Vinícius Valfré , O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2021 | 18h38

Correções: 26/02/2021 | 20h20

BRASÍLIA - O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), determinou o fechamento de todos os serviços não essenciais a partir da 0h deste domingo, 28, para conter o avanço do novo coronavírus. A medida é mais rigorosa do que a anunciada na quinta-feira, de lockdown apenas entre 20h e 5h a partir da próxima segunda. 

A decisão foi tomada após a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) específicos para pacientes com a covid-19 beirar o limite. O índice estava em 98% no fim da tarde desta sexta. 

O governo prepara um decreto com detalhes sobre a nova medida preventiva. A expectativa inicial, de lockdown noturno, duraria pelo menos 14 dias, segundo Ibaneis.

Nesta sexta, o governador esteve em Samambaia, cidade satélite do DF, para anunciar a abertura de sete novos leitos. Ele prometeu mais 60 no Hospital de Campanha de Ceilândia (20) e no Hospital Regional de Santa Maria (40).

O presidente da Câmara, Arthur Lira (Progresistas-AL), informou por meio da sua assessoria ter sido informado por Ibaneis, por telefone, de que haveria o fechamento total no DF. Segundo ele, o governador recomendou a restrição à circulação de visitantes na Casa, o que deverá ser atendido por Lira. O mesmo deve ocorrer com o Senado Federal.

O governador foi o primeiro entre os 27 do País a adotar medidas de isolamento para restringir a circulação de pessoas. Antes mesmo da confirmação do primeiro caso da doença no Distrito Federal, Ibaneis decretou emergência, no dia 28 de fevereiro. No dia 11 de março, suspendeu aulas e proibiu eventos.

Em junho, porém, o governador mudou radicalmente de postura e antecipou, em entrevista ao Estadão, que faria ampla reabertura de serviços. À época ele disse que "restrições" já não serviam para nada, pois havia se esgotado o "limite" da população. “(A covid-19) Vai ser tratada como uma gripe, como isso deveria ter sido tratado desde o início.”

Em dezembro, o governador promoveu uma confraternização em sua casa em Brasília, com a presença do cantor sertanejo Zezé Di Camargo e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Em plena pandemia, os três posaram para fotos, sem máscara.

O decreto publicado pelo governador Ibaneis Rocha suspende todas as atividades e estabelecimentos comerciais e industriais do Distrito Federal. Entre os locais alcançados, salões de beleza, museus e academias.

A lista dos serviços suspensos:

- eventos, de qualquer natureza, que exijam licença do Poder Público;

- atividades coletivas de cinema e teatro;

- atividades educacionais em todas as escolas, universidades e faculdades, das redes de ensino pública e privada;

- academias de esporte de todas as modalidades;

- museus;

- zoológico, parques ecológicos, recreativos, urbanos, vivenciais e afins;

- boates e casas noturnas;

- atendimento ao público em shoppings centers, feiras populares e clubes recreativos;

- estabelecimentos comerciais, de qualquer natureza, inclusive bares, restaurantes e afins;

- salões de beleza, barbearias, esmalterias e centros estéticos;

- quiosques, foodtrucks e trailers de venda de refeições;

- oficinas de lanternagem e pintura;

- comércio ambulante em geral;

- construção civil;

O decreto permite o funcionamento normal de supermercados, farmácias e postos de combustíveis. Igrejas também podem continuar funcionando.

A lista de serviços e estabelecimentos dispensados do lockdown:

– supermercados;

– hortifrutigranjeiros;

– minimercados;

– mercearias e padarias;

– postos de combustíveis;

– comércio de produtos farmacêuticos;

– hospitais, clínicas e consultórios médicos e odontológicos, laboratórios e farmacêuticas;

- clínicas veterinárias

- comércio atacadista;

- lojas de medicamentos veterinários ou produtos saneantes domissanitários;

- funerárias e serviços relacionados;

- lojas de conveniência e minimercados em postos de combustíveis exclusivamente para a

venda de produtos;

– serviços de fornecimento de energia, água, esgoto, telefonia e coleta de lixo;

– lojas de material de construção;

- cultos, missas e rituais de qualquer credo ou religião;

Serviços de delivery também podem funcionar, sem atendimento ao público. A venda de bebidas alcoólicas após as 20 horas será proibida. O decreto não faz menção ao funcionamento da estrutura administrativa da Esplanada dos Ministérios e da Praça dos Três Poderes. /COLABOROU MATEUS VARGAS

Correções
26/02/2021 | 20h20

Assessoria do governo informou inicialmente sábado, mas decreto diz domingo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.