Pesquisa vincula hipertensão em idosos a baixas temperaturas

A pressão mudou em cada estação, mas também variou em função das temperaturas de cada dia

Efe,

12 de janeiro de 2009 | 19h00

Os idosos têm maior pressão sanguínea e sofrem mais hipertensão nos meses mais frios que nas épocas mais quentes, de acordo com um estudo publicado nesta segunda-feira, 12, pela revista americana Archives of Internal Medicine. Na pesquisa, uma equipe do Instituto Nacional da Saúde e da Investigação Médica de Paris explica que os idosos são especialmente suscetíveis às variações de pressão sanguínea relacionadas com a temperatura do ambiente. Para chegar a esta conclusão, os cientistas analisaram a relação entre pressão sanguínea e temperatura, após medir essa variável em 8.801 indivíduos com 65 ou mais anos, e obter a informação meteorológica durante os dias em que as medições foram feitas. A pressão sistólica e a diastólica mudaram em cada estação, mas também variaram em função das temperaturas de cada dia: no inverno, a pressão sistólica foi 5 milímetros de mercúrio mais alta que no verão, em média. Os pesquisadores detectaram hipertensão (a partir de 160 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e de 95 milímetros da diastólica) em 33,4% dos participantes no inverno e em 23,8% dos indivíduos no verão. Os cientistas, no entanto, desconhecem os mecanismos que poderiam explicar a relação entre pressão sanguínea e temperatura. Apesar disso, sabem que o sistema nervoso simpático se ativa e libera o hormônio catecolamina em resposta às baixas temperaturas, o que, acreditam os cientistas, poderia aumentar a pressão sanguínea, acelerando a velocidade das batidas do coração e diminuindo a capacidade de resposta dos vasos sanguíneos.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdehipertensãoidosos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.