Pesquisadores americanos vão estudar risco de doenças em cabines aéreas

Professores vão pesquisar a capacidade dos microrganismos como o H1N1 em sobreviver nos voos

New York Times

11 Junho 2010 | 22h08

ATLANTA - Pesquisadores da Universidade Auburn, no Estado americano do Alabama, vão estudar o risco de contrair uma doença contagiosa durante uma viagem de avião, com a ajuda de US$ 300 mil da Administração Federal de Aviação.

 

Os professores Tony Overfelt, do Departamento de Engenharia Mecânica, e James Barbaree, do Departamento de Ciências Biológicas, vão pesquisar a capacidade dos microrganismos em sobreviver ao ar da cabine e em superfícies.

 

Surtos passados de SARS e H1N1 geraram preocupação com a disseminação de doenças durante viagens aéreas. Alguns viajantes acreditam que muitas vezes pegam resfriados quando voam, e essa crença deve ser "cuidadosamente investigada", de acordo com Overfelt.

 

Overfelt é diretor executivo do Centro de Pesquisa de Ambiente em Cabine Aérea, que administra o projeto. Auburn vai integrar os resultados da investigação com a Escola de Saúde Pública de Harvard, a Universidade Purdue e a do Estado do Kansas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.