Rungroj Yongrit/EFE
Rungroj Yongrit/EFE

Pesquisadores chineses iniciam segunda fase de teste para vacina contra coronavírus

Cerca de uma dúzia de vacinas estão em diferentes fases de testes no mundo inteiro

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2020 | 05h37

Pesquisadores chineses iniciaram uma segunda fase de teste em humanos para uma possível vacina contra o coronavírus, disse o Instituto de Biologia Médica da Academia Chinesa de Ciências Médicas (IMBCAMS) neste domingo, 21, em um esforço para avaliar melhor a eficácia e a segurança.

Cerca de uma dúzia de vacinas estão em diferentes estágios de testes em todo o mundo. Ao mesmo tempo, a Organização Mundial de Saúde adverte que a pandemia de coronavírus está se acelerando e "o mundo está em uma fase nova e perigosa".

No entanto, nenhum dos ensaios de vacina passou em ensaios clínicos de fase 3 em larga escala e em estágio final, uma etapa necessária antes de obter a aprovação regulamentar para venda.

O IMBCAMS iniciou no sábado, 20, teste humano de fase 2 para sua vacina experimental, que está entre as seis possíveis que cientistas chineses estão testando em seres humanos, após um estudo em fase 1 que recrutou cerca de 200 participantes desde maio, informou o instituto no domingo em seu canal numa rede social.

O estudo de fase 2 determinará a dose da vacina e continuará a avaliar se ela pode desencadear respostas imunológicas com segurança em pessoas saudáveis. O IMBCAMS disse que espera usar uma planta dedicada à produção de uma vacina contra o coronavírus este ano para se preparar para o futuro suprimento de vacinas da China.

No final de 2020, certos grupos de pessoas com necessidades especiais poderão usar vacinas experimentais em circunstâncias urgentes, disse Gao Fu, diretor do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças, no mês passado.

O coronavírus, detectado pela primeira vez na China no final de 2019, infectou 8,81 milhões de pessoas em todo o mundo e matou mais de 460.000 pessoas. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.