Divulgação
Divulgação

Pesquisadores mapeiam DNA de neandertal

Cientistas sequenciaram o código genético de um osso de 50 mil anos encontrado na caverna Denisova, na Sibéria

O Estado de S.Paulo

19 Dezembro 2013 | 02h04

O DNA de um osso de dedão de pé de uma neandertal, revelou que a reprodução consanguínea era comum na espécie (que conviveu com antepassados dos humanos modernos entre 300 mil e 30 mil anos atrás) e pode ter contribuído para sua derrocada.

Cientistas sequenciaram o código genético de um osso de 50 mil anos encontrado na caverna Denisova, na Sibéria (Rússia), onde restos fossilizados dos ancestrais humanos foram encontrados em 2010, segundo a revista Nature. A análise sugere que seus pais eram geneticamente próximos o suficiente para ser meio-irmãos, primos-irmãos ou tio e sobrinha.

O estudo aponta que a população de neandertais era pequena, fazendo a reprodução consanguínea ser mais comuns entre eles do que ancestrais dos humanos modernos, segundo David Reich, um dos autores do estudo e professor de genética da Harvard Medical School.

Mais conteúdo sobre:
ciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.