Frank Augstein/AP
Frank Augstein/AP

Pfizer faz estudo em massa de vacina contra covid em cidade do Paraná

Objetivo é estudar a transmissão do coronavírus em um "cenário da vida real" após a população ter sido completamente vacinada

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2021 | 21h24

A Pfizer informou nesta quarta-feira, 6, que vai estudar a efetividade de seu imunizante contra a covid-19 vacinando toda a população com mais de 12 anos de Toledo, cidade com 143 mil habitantes que fica localizada no interior do Paraná. O estudo recebe apoio do Plano Nacional de Imunização (PNI) e de autoridades locais de saúde.

A Pfizer, que desenvolveu a vacina anticovid com a parceira alemã BioNTech, disse que o objetivo é estudar a transmissão do coronavírus em um "cenário da vida real", com a população completamente vacinada. "A iniciativa é a primeira e única deste tipo a ser realizada com colaboração da farmacêutica em um país em desenvolvimento", informou a Pfizer.

"Aqui acreditamos na ciência e lamentamos as quase 600 mil mortes de covid-19 no Brasil", disse o prefeito de Toledo, Beto Lunitti, em entrevista coletiva anunciando o estudo da Pfizer. Segundo ele, há pouca resistência antivacinal em Toledo, onde 98% da população acima de 12 anos já tomou a primeira dose, principalmente da vacina Pfizer/BioNTech.

A vacina covid-19 da AstraZeneca e a Coronavac também foram usadas lá, disse a secretária municipal de saúde Gabriela Kucharski, acrescentando que 56% estão totalmente vacinados.

Pesquisador do Hospital Moinhos de Vento de Porto Alegre que participa do estudo, Regis Goulart explicou que o objetivo é validar a eficácia e segurança no mundo real da vacina vista em testes clínicos.

O estudo observacional também proporcionará uma oportunidade de fazer monitoramento de longo prazo por até um ano dos participantes, ajudando a responder a questões persistentes, como a duração da proteção da vacina contra covid-19 e novas variantes do vírus, disse Goulart.

Estudo é semelhante ao realizado em Serrana

Estudo semelhante foi realizado pelo Instituto Butantan, um dos principais centros de pesquisa biomédica do Brasil, na pequena cidade de Serrana, no Estado de São Paulo. O ensaio, no caso, testou a efetividade da vacina Coronavac, desenvolvida pela  farmacêutiva chinesa Sinovac.

Em maio, o Butantan disse que a vacinação em massa reduziu a mortalidade por covid-19 em 95% na cidade com uma população de 45.644 pessoas. O instituto está estendendo o estudo para analisar a efetividade de uma terceira dose. /REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.