Pfizer paga US$ 1,3 bi por insulina inalável

A Pfizer Inc., maior empresa farmacêutica do mundo, vai pagar US$ 1,3 bilhão ao grupo Sanofi-Aventis para obter direitos totais sobre a insulina inalável Exhubera, que as companhias desenvolveram em parceria. A regulamentação da droga deve ser concluída no fim deste mês. A Pfizer, conhecida por seu medicamento de controle de colesterol Lipitor, fez o anúncio na quinta-feira. Enquanto uma epidemia de diabetes se espalha pelos Estados Unidos, alguns especialistas afirmam que os médicos devem ser comedidos ao receitar o Exhubera, pois seus efeitos a longo prazo serão desconhecidos por muitos anos. Além disso, com a retirada do mercado do Vioxx (da Merck & Co.), muitos médicos ficaram receosos de receitar novas drogas. A Pfizer se comprometeu a continuar com pesquisas sobre o medicamento mesmo após sua aprovação. O acordo também dá à Pfizer o controle sobre uma fábrica na Alemanha, construída em conjunto com a Sanofi-Aventis. "Creio que o Exhubera vai se tornar uma droga bilionária, mas levará algum tempo", diz Jason Napodano, analista da consultoria Zacks. Para ele, a Pfizer terá de investir muito em marketing para superar o receio dos médicos. Além disso, os pacientes podem estranhar o produto. Segundo a Pfizer, o inalador teria o tamanho de uma caixinha de óculos. Napodano acredita na aprovação do Exhubera, embora ache que o FDA, órgão que regulamenta os medicamentos nos EUA, ainda vá pedir mais informações ou mudanças no rótulo antes de o remédio começar a ser vendido. Ele estima que nos próximos dois anos a droga torne-se expressiva no faturamento da empresa e, após 2009, atinja seu primeiro bilhão. "Seria um bom lançamento, após a Pfizer amargar várias quebras de patentes nos últimos anos." O acordo põe fim a uma ação que a Pfizer iniciou contra a Aventis após sua fusão com a Sanofi. A fusão, segundo a Pfizer, constituiria mudança de controle, e isso violaria o contrato de produção do Exhubera. As justiças dos EUA e da Alemanha deram ganho de causa à Pfizer, e as duas empresas vinham trabalhando em uma solução para o conflito há dois anos. A Pfizer também pagará uma quantia não divulgada à Nektar Therapeutics, que produz o inalador e fornece a insulina.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2006 | 17h58

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.