Piora estado de saúde de criança infectada por E.coli na França

Autoridades da saúde afirmam que a bactéria não tem relações com a cepa de E.coli da Alemanha

Reuters,

17 Junho 2011 | 13h23

PARIS - O estado de saúde de uma das crianças infectadas por uma cepa da bactéria E.coli no norte da França piorou, informou nesta sexta-feira o ministro da Saúde, Xavier Bertrand.

 

Oito crianças foram internadas no hospital depois de comer hambúrgueres, comprados na forma congelada, da rede alemã de supermercados populares Lidl.

 

Autoridades da saúde afirmam que a bactéria não tem relações com a cepa de E.coli que matou 39 pessoas e deixou outras 3 mil doentes, principalmente na Alemanha, e que tem como origem verduras contaminadas.

 

"Uma das crianças foi submetida à diálise durante a noite", disse Xavier Bertrand à Radio Classique. "Sua condição piorou."

 

Na quinta-feira, autoridades de Saúde na região de Nord Pas de Calais, onde as infecções estão concentradas, disseram que três das crianças foram tratadas com hemodiálise, método de limpeza do sangue em caso de insuficiência renal.

 

As crianças, com idades entre 20 meses e 8 anos, ficaram doentes com sintomas como diarréia hemorrágica. Uma delas recebeu alta do hospital na quarta-feira.

 

Autoridades de saúde culparam a contaminação nos hambúrgueres que são vendidos congelados para distribuição, da marca "Steaks Country".

 

A rede Lidl, que distribui hambúrgueres produzidos pela fornecedora francesa da carnes congeladas SEB-CERF, retirou todas os hambúrgueres da marca "Steaks Country" das prateleiras dos supermercados.

 

O chefe-executivo da SEB-CERF, Guy Lamorlette, disse na quinta-feira que os hambúrgueres congelados que teriam infectado uma das crianças vieram da Alemanha.

 

A SEB-CERF, que retirou cerca de 10 toneladas de produtos congelados à base de carne, compra carne de muitos países europeus, e autoridades de saúde não determinaram oficialmente a origem das infecções.

 

Lamorlette disse esperar que os resultados das análises sobre a fonte das contaminações seriam divulgadas nos próximos dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.