REUTERS
REUTERS

Piracicaba investiga dez mortes pela gripe H1N1

Campanha de vacinação na cidade começa no dia 30; município teme agravamento do quadro com chegada do inverno

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

24 Abril 2016 | 14h03

SOROCABA – Dez pessoas morreram desde o início deste ano com Síndrome Respiratória Aguda Grave, em Piracicaba, interior de São Paulo. A Secretaria Municipal de Saúde aguarda o resultado de exames para confirmar se os óbitos foram causados pelo vírus H1N1. As amostras foram encaminhadas para o Instituto Adolfo Lutz e os resultados podem demorar até duas semanas. Outras 53 pessoas adquiriram a síndrome e estão em tratamento.

De acordo com a Secretaria, metade das mortes ocorreu no mês de abril, o que aumenta a preocupação com a incidência da gripe. Isso porque o período frio, mais propício para a propagação do vírus, ainda não começou. Na cidade, o mês de abril foi de temperaturas altas e baixa umidade relativa do ar.

Quando causada pelo vírus H1N1, a doença afeta de forma mais severa o paciente. Em Piracicaba, a campanha nacional de vacinação contra a gripe está prevista para começar no dia 30 de abril. Em outras regiões do Estado, como a capital e a Grande São Paulo, o período de imunização foi antecipado. 

 

Mais conteúdo sobre:
h1n1 piracicaba gripe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.