Plano de saúde quebra e 215 mil terão de trocar de operadora

A decisão interessa principalmente aos cerca de 30 mil ex-integrantes do extinto plano Interclínicas

Fabiane Leite, de O Estado de S. Paulo,

20 Fevereiro 2009 | 15h16

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou nota, nesta sexta-feira, 20, sobre a determinação para que o plano de saúde Avimed (cujo registro na agência é Aviccena) transfira 215 mil usuários, em razão de dificuldades financeiras insolúveis, como informou o jornal O Estado de S. Paulo na edição hoje.   Segundo a nota divulgada pela ANS, a empresa, que opera em São Paulo, Grande São Paulo e Baixada Santista, "não foi capaz de se recuperar de graves problemas assistenciais e econômico-financeiros" e deverá ser liquidada, isto é, desaparecerá do mercado. A Avimed tem 30 dias para conseguir um comprador para a carteira de clientes. Caso não encontre compradores, a própria agência poderá realizar uma oferta pública ao mercado. A decisão interessa principalmente aos cerca de 30 mil ex-integrantes do extinto plano Interclínicas, de São Paulo, que já passam por dificuldades desde 2004 e que foram absorvidos pela Avimed.   Naquele ano a Interclínicas, também em dificuldades, teve de transferir sua carteira, comprada pelo Grupo Saúde ABC, que também desapareceu do mercado, e vendeu o rol de usuários para a Avimed em 2006. Na época da transferência dos clientes ao Grupo Saúde ABC, a ANS foi criticada porque também a empresa do ABC já tinha dificuldades financeiras.    Até que a venda  da carteira da Avimed se concretize, a empresa é obrigada a manter o atendimento. Os donos da operadora estão com seus bens indisponíveis. Todos os recursos arrecadados em uma eventual negociação irão para uma conta de banco determinado pela ANS, que terá de verificar se o comprador terá saúde financeira, segundo resolução de 2005.   A agência vinha acompanhando a direção da empresa desde o ano passado em razão dos problemas econômico e financeiros. A determinação da alienação compulsória da carteira foi  publicada hoje no Diário Oficial.   Em nota divulgada há pouco, a Avimed informa que acatará a decisão."Neste momento, a Avimed concentra esforços para honrar todos os seus compromissos dentro do prazo determinado pela ANS, para que seus associados recebam o atendimento a que têm direito enquanto estiverem sob sua responsabilidade", diz a nota.   Controladores da empresa vinham manifestando arrependimento pela compra da carteira de clientes da extinta Interclínicas, que teria levado à derrocada da Avimed, uma empresa fundada em 1991 e considerada "saudável" até realizar o negócio. O rol de cerca de 30 mil pessoas, concentrado principalmente em São Paulo, é composto por usuários com problemas de saúde e idosos que utilizam muito o plano, mas cujas mensalidades já não cobrem os custos.   O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) informou que usuários que eventualmente tiverem problemas de atendimento deverão buscar os Procons e o Judiciário. "É uma situação muito delicada", diz a advogada Daniela Trettel.

Mais conteúdo sobre:
avimed plano de saúde ans

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.