Plasma enriquecido alivia em 40% dor e rigidez da artrose, revela estudo

Produto é obtido pelo sangue e aplicado em outras áreas, como implantologia e cirurgia estética

Efe

01 Outubro 2010 | 16h52

BILBAO - O uso de plasma enriquecido no tratamento de artrose e outras lesões articulares alivia em 40% a dor e a rigidez associadas a essas doenças, segundo resultados preliminares de um teste clínico divulgados nesta sexta-feira, 1º, em um simpósio na cidade de Bilbao, no norte da Espanha.

O denominado plasma rico em fatores de crescimento é obtido pelo próprio sangue do paciente e aplica-se também em outras áreas da medicina, como a implantologia oral - na qual se conseguiu fazer implantes dentais e colocação de dentes provisórios em apenas um dia - e operações estéticas.

No 8º Simpósio de Implantologia Oral BTI, foram apresentados os resultados preliminares dos primeiros seis meses de um teste clínico com plasma dirigido pelo traumatologista e cirurgião Mikel Sánchez, especializado no tratamento de desportistas de elite.

O estudo, segundo comunicado dos organizadores do evento, foi realizado em três centros de saúde bascos e se sustenta na realização de mais de 1.500 infiltrações de plasma enriquecido em 180 pacientes.

As conclusões indicam que o tratamento diminui a dor e a rigidez, e que desde o primeiro mês já se nota uma melhora funcional em torno de 30% a 35%. A eficácia clínica do plasma enriquecido se explica, de acordo coma organização, porque atua sobre o líquido sinovial que irriga as articulações, estimulando a produção de ácido hialurônico (substância que preenche os espaços entre as células) e outras moléculas bioativas.

Mais conteúdo sobre:
artroseplasma enriquecido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.