REUTERS/Denis Balibouse
REUTERS/Denis Balibouse

'Podemos estar cansados da covid-19, mas o vírus não está cansado de nós', diz diretor-geral da OMS

Ao participar de fórum em Paris, Tedros Adhanom reforçou que uma vacina é "urgentemente necessária", mas as pessoas não podem "apostar todas as nossas fichas nisso"

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2020 | 09h06

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse nesta quinta-feira, 12, que as pessoas estão ficando cansadas da pandemia do novo coronavírus, mas devem continuar em alerta, cumprindo todas as medidas de prevenção, enquanto o mundo espera por uma vacina.

Após onze meses desde o início da pandemia que já matou mais de 1,2 milhão de pessoas em todo o mundo, destruiu economias e virou o cotidiano de cabeça para baixo, Adhanom diz que depender de vacinas promissoras - mas ainda não comprovadas - é uma aposta arriscada.

"Podemos estar cansados da covid-19, mas (o vírus) não está cansado de nós. Países europeus estão lutando, mas o (comportamento do) vírus não mudou significativamente, nem as medidas para preveni-lo", disse o diretor-geral no Fórum da Paz de Paris. 

O recente ressurgimento de casos de covid-19 levou vários países a adotar medidas para controlar a disseminação do vírus e proteger seus sistemas de saúde. Na segunda-feira, a farmacêutica Pfizer e a parceira alemã BioNTech anunciaram que a vacina que estão desenvolvendo tem 90% de eficácia contra a covid-19, baseados em resultados preliminares da fase final dos testes do imunizante. Os resultados precisam ser confirmados por mais dados de coleta.

"A vacina é urgentemente necessária, mas não podemos esperar por uma vacina e apostar todas as nossas fichas nisso", disse Adhanom nesta quinta-feira, reiterando que qualquer vacina contra a covid-19 deve ser distribuída de maneira justa com os países mais pobres./REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.