Reprodução
Reprodução

Polícia Civil apura morte de jovem que aplicou silicone

Rapaz de São Carlos morreu após colocar mais de 2 litros da substância no corpo; ele teve insuficiência respiratória e renal

RENE MOREIRA, Especial para O Estado

08 Abril 2016 | 21h19

FRANCA - A Polícia Civil de São Carlos (SP) apura a morte de um rapaz que aplicou silicone industrial no glúteo. O corpo de Bruno Carrara Fallacci, de 24 anos, foi sepultado nesta quinta-feira, 7, um dia após ser realizada a aplicação.

O jovem contou a amigos que aplicou mais de 2 litros de silicone. Porém, a procedência do produto e o local onde foi feita a aplicação ainda são um mistério. Ele chegou a ser socorrido à Santa Casa local, mas morreu por insuficiência respiratória e renal.

A polícia busca descobrir o tipo de silicone que foi usado e se alguém fez a aplicação. Conhecidos contaram que o rapaz sempre falava que pretendia algum dia aplicar silicone. Foi um amigo que chamou uma ambulância após Carrara passar mal.

O corpo passou por análise no Instituto Médico Legal (IML), cujo laudo deve dar mais detalhes da causa da morte. O caso foi registrado no 3º Distrito Policial de São Carlos e é investigado.

Mais conteúdo sobre:
Instituto Médico LegalIML

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.