Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Polícia investiga furto de duas doses da Coronavac na Grande São Paulo

Caso segue em apuração no 1º DP de Diadema; Secretaria da Saúde do município intensifica segurança em unidades de saúde

Vagner Aquino, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2021 | 22h17

A Unidade Básica de Saúde (UBS) Parque Reid, que fica na Rua Serra de Maracujá, no centro de Diadema, na região metropolitana de São Paulo, foi alvo de furto de duas doses da Coronavac, vacina contra a Covid-19. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil do município. De acordo com relatos, as vacinas sumiram entre a noite de sexta-feira, 22, e a madrugada deste sábado, 23.

De acordo com o boletim de ocorrência, uma funcionária informou que a unidade recebeu 70 doses da Coronavac na quarta-feira, 20. Na mesma data, realizou a aplicação do imunizante em 39 profissionais. Na quinta-feira, 21, foi realizada a imunização de mais um profissional. A conferência do estoque constatou a presença de 30 doses.

"Já na sexta-feira, 22, porém, após a aplicação de mais uma dose, foi realizada uma nova conferência. A contabilização, enfim, constatou a falta de duas unidades da vacina do Butantan", informa o resumo do boletim, enviado pela Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Em nota, a SSP informou que o 1º DP de Diadema está apurando o caso, que foi registrado por meio da delegacia eletrônica na última sexta-feira, 22. "As investigações seguem em andamento", diz o texto.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa que intensificou a segurança nas unidades de saúde, com auxílio da GCM (Guarda Civil Municipal). O município já supera os 12 mil casos de covid-19. A Prefeitura de Diadema informou, em nota, que instaurou processo administrativo para apurar o furto das duas doses. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.