Polícia prende duas mulheres por se passarem por médicas em São Paulo

Mulheres confessaram que não têm registro no Conselho Regional de Medicina

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

21 de julho de 2011 | 13h55

SÃO PAULO - A polícia prendeu em flagrante na madrugada desta quarta-feira, 20, no Cambuci, zona sul de São Paulo, duas mulheres, com idades de 33 e 49 anos, acusadas por se passarem por médicas.

Os policiais investigavam uma empresa localizada na rua Paulo Orozimbo, também no Cambuci, onde um veículo estaria sendo utilizado irregularmente como UTI móvel.

Durante a abordagem, os policiais encontraram quatro pessoas dentro da ambulância - além das duas suspeitas, havia um auxiliar de enfermagem e um motorista. Ao solicitarem documentação pessoal, as duas mulheres confessaram que não tinham registro no CRM (Conselho Regional de Medicina). O motorista também não apresentou a documentação necessária para utilizar a ambulância.

O dono da empresa afirmou que uma das mulheres, que trabalha para ele há três meses, lhe apresentou diploma médico internacional, e aguardava a validação no país. Ele confessou desconhecer se a segunda suspeita tinha registro. O caso foi registrado no 44º Distrito Policial (Guaianases).

Mais conteúdo sobre:
fraude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.