Polícia prende duas mulheres por se passarem por médicas em São Paulo

Mulheres confessaram que não têm registro no Conselho Regional de Medicina

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

21 Julho 2011 | 13h55

SÃO PAULO - A polícia prendeu em flagrante na madrugada desta quarta-feira, 20, no Cambuci, zona sul de São Paulo, duas mulheres, com idades de 33 e 49 anos, acusadas por se passarem por médicas.

Os policiais investigavam uma empresa localizada na rua Paulo Orozimbo, também no Cambuci, onde um veículo estaria sendo utilizado irregularmente como UTI móvel.

Durante a abordagem, os policiais encontraram quatro pessoas dentro da ambulância - além das duas suspeitas, havia um auxiliar de enfermagem e um motorista. Ao solicitarem documentação pessoal, as duas mulheres confessaram que não tinham registro no CRM (Conselho Regional de Medicina). O motorista também não apresentou a documentação necessária para utilizar a ambulância.

O dono da empresa afirmou que uma das mulheres, que trabalha para ele há três meses, lhe apresentou diploma médico internacional, e aguardava a validação no país. Ele confessou desconhecer se a segunda suspeita tinha registro. O caso foi registrado no 44º Distrito Policial (Guaianases).

Mais conteúdo sobre:
fraude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.