Reprodução/ Instagram
Reprodução/ Instagram

População volta a desrespeitar recomendações e RJ tem aglomerações em Duque de Caxias e Campo Grande

Imagens registraram espaços lotados e nenhuma preocupação com as recomendações sanitárias

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2020 | 11h46

Apesar das restrições impostas no Estado do Rio de Janeiro, um bar chamado Legado do Chopp, em Duque de Caxias, localizado na Baixada Fluminense, ficou lotado de pessoas na madrugada deste domingo, 5, como mostram as imagens divulgadas pelo próprio estabelecimento em uma rede social.

É possível perceber que não há nenhuma restrição de distanciamento entre os frequentadores, que se aglomeram numa pista de dança. A ação viola as recomendações sanitárias para evitar a disseminação da covid-19. Imagens gravadas do estabelecimento e publicadas nas redes sociais mostram o ambiente lotado e totalmente fechado. Não é possível identificar se os funcionários utilizam máscara de proteção facial. 

 

Em outra rede social, o estabelecimento informava que uma festa, que aconteceu na última sexta-feira, seria realizada com capacidade reduzida para até 120 pessoas e que "para a segurança de todos, não seria permitido a entrada de pessoas sem máscara".

 

 

 
Já em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, imagens obtidas pelo G1 mostram uma rua aglomerada de pessoas, em frente a bares. O vídeo mostra que mal era possível caminhar entre a multidão, contrariando as normas determinadas pela Prefeitura do Rio. Apesar do local estar lotado, não há qualquer sinal de fiscalização por parte do poder público.
 
 

Após três meses fechados devido às restrições impostas pelo novo coronavírus, bares e restaurantes voltaram a funcionar no Rio de Janeiro na última quinta-feira, 2. Entretanto, a liberação causou grande aglomeração na zona sul carioca, com clientes acumulados em calçadas, sem respeitar o distanciamento social, e abdicando do uso de máscaras.  No último dia 30 de junho, a cidade ultrapassou a marca de 10 mil mortes e mais de 112 mil infectados pela covid-19. 

Justiça do RJ suspende decreto de flexibilização em Duque de Caxias

A Justiça do Rio de Janeiro intimou a Prefeitura de Duque de Caxias a fechar o comércio no dia 25 de junho. Caso ocorra o descumprimento da decisão, a prefeitura vai ter que pagar uma multa de R$ 30 mil por cada dia de desobediência. O comércio havia sido aberto pela primeira vez no dia 25 de maio e, desde então, a Justiça já tentou impedir a medida mais de uma vez, chegando inclusive a multar o prefeito Washington Reis em R$ 20 mil.

Por nota, a Prefeitura de Duque de Caxias disse que já recorreu e que por enquanto vai seguir a determinação judicial. O órgão disse também que vem realizando diversas ações, como a testagem em massa, e que se a decisão for mantida a capacidade econômica do município será afetada. O prefeito Washington Reis declarou textualmente que “não consegue fechar” os estabelecimentos.

No Estado, Duque de Caxias é a terceira cidade que mais registrou óbitos pela covid-19. O município acumula 454 mortes e 3.341 casos confirmados pela doença. 

Decreto estadual prevê fiscalização

No decreto do governo estadual, ficou estabelecido a reabertura de bares e restaurantes, em horários específicos, respeitando 50% de sua capacidade. Todos os estabelecimentos abertos devem seguir protocolos e medidas de segurança recomendadas pelas autoridades sanitárias, como assegurar a distância mínima de 1 metro entre as pessoas e disponibilizar álcool em gel 70%. Além da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial por clientes e funcionários.

Segundo o documento, em caso de descumprimento das medidas previstas, as forças de segurança pública poderão atuar em eventuais práticas de infrações administrativas e crimes previstos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.