Por coronavírus, Janaína Paschoal critica decisão de Doria de não vetar eventos públicos em SP

Deputada se reuniu com governador nesta quinta-feira, 12; Estado afirma se basear em critérios médicos e científicos para tomar medidas sobre doença

Paula Reverbel e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2020 | 21h43

SÃO PAULO - A deputada estadual de São Paulo Janaina Paschoal (PSL), parlamentar mais votada da história do País, criticou nesta quinta-feira, dia 12, a decisão do governador João Doria (PSDB) de manter a permissão para eventos públicos em São Paulo. Doria se reuniu nesta tarde com deputados na Assembleia Legislativa paulista (Alesp), onde os representantes tiveram reações divergentes sobre a fala do mandatário a respeito do novo coronavírus.

“A reunião foi muito difícil para mim. Disse isso para ele com todas as letras”, afirmou Janaina ao Estado. “Estavam numa realidade paralela... Não estou querendo criticar nem falar mal dos colegas, mas sabe… E aí falei: ‘Olha governador, estou acompanhando o trabalho da equipe que o senhor nomeou e eu peço desculpas por ser tão direta, mas o senhor está errado, a equipe está errada. Não pode o responsável dizer que neste momento não precisa de nenhuma medida extra’”, acrescentou.

A deputada disse ter defendido a suspensão de solenidades, cerimônias e eventos e criticou ainda a iniciativa de Doria de convidar os deputados para uma partida de futebol em sua residência – um tipo de confraternizações que ele às vezes sedia. Janaina disse ainda que está acompanhando as notícias internacionais desde o início do surto de coronavírus e que está em contato com especialistas técnicos.  “Ele (Doria) me ouviu, é muito educado, mas foi categórico. Disse que confia e está alicerçado na opinião dos melhores profissionais”, lamentou. A intervenção de Janaina na reunião incomodou deputados governistas, mas os parlamentares têm opiniões divergentes sobre as escolhas de Doria. 

"O governador está correto, seria muito precipitado parar o Estado. Não é o momento de criar pânico", disse a deputada Carla Morando, líder do PSDB na assembleia, que estava presente na reunião. Ela, porém, faz a ressalva de que esse cenário é reavaliado e que a decisão pode mudar nos próximos dias, se necessário.

Para o deputado Daniel José, do Novo, o governador não se aprofundou tecnicamente ao relatar as suas escolhas, o que fez com que alguns parlamentares saíssem sem a tranquilidade de que as melhores escolhas estão sendo feitas.

“Nós, do Legislativo, não temos a mesma informação que o governador. Na reunião, ele ‘bateu no peito’, mas não se aprofundou tecnicamente. Enquanto isso, vários outros governadores tomaram decisões restritivas. Portanto, pode ser um erro (do Doria)”, disse o deputado do Novo.

Mais cedo, Doria havia mantido, em coletiva de imprensa, a permissão de eventos públicos no Estado e garantiu que a situação do Brasil é diferente daquela observada em outros países, onde há cancelamentos e adiamentos.

Procurado pelo Estado, o governo informou, por nota, que João Doria, "embora tenha respeito pela opinião contraditória, pauta suas ações a partir das indicações de especialistas. As decisões são tomadas a partir de critérios médicos e científicos”.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.