PR tem 39 municípios com médio e alto risco de epidemia de dengue

No ano epidemiológico 2010/2011 foram confirmadas 15 mortes por dengue no Estado

Solange Spigliatti, estadão.com.br

29 de novembro de 2011 | 14h26

SÃO PAULO - O Estado do Paraná registra 39 municípios com médio e alto risco de ocorrência de epidemia de dengue, segundo levantamento do índice de infestação do Aedes aegypti no Paraná (Liraa), realizado em 59 municípios. O risco de epidemia é apontado como alto em quatro municípios e médio em 35.

 

O levantamento do índice de infestação predial é realizado pelos agentes de controle de endemias seguindo a metodologia do Programa Nacional de Controle da Dengue. Os agentes visitam os imóveis (de acordo com uma distribuição feita por amostragem) à procura de larvas do mosquito da dengue e atribuem o índice conforme o número de criadouros em cada grupo de cem. Por exemplo: um índice de 2% indica que a cada 100 imóveis, em dois foram encontrados criadouros com larvas do mosquito Aedes aegypti. 

 

Casos

 

O quarto informe técnico deste novo período da dengue (de agosto a novembro) relata 119 casos confirmados da doença no Paraná, dos quais 101 autóctones (em que a contaminação ocorreu no município) e 18 importados. A sala de situação da dengue passou a considerar o ano epidemiológico da doença que vai da 31ª semana de 2011 (agosto) à 30ª semana de 2012 (julho) porque leva em conta a curva epidêmica da doença e não o ano cronológico.

 

Também foi divulgada a confirmação de uma morte por dengue na cidade de Cornélio Procópio, em abril deste ano. Desta forma, no ano epidemiológico 2010/2011 foram confirmadas 15 mortes por dengue no Paraná. A secretaria descartou a dengue hemorrágica como causa de um caso registrado em Londrina no início de novembro, que na época teve ampla divulgação como associado à doença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.