Agustin Marcarian/REUTERS
Agustin Marcarian/REUTERS

Prefeitos e governadores anunciam compra da Sputnik; Bahia e BH preveem 13,7 milhões de doses

Betim (MG) e Maricá (RJ) também divulgaram acordo para aquisição de imunização russo

Leonardo Augusto, Especial para o Estadão

12 de março de 2021 | 22h04

BELO HORIZONTE - Após nova lei que libera Estados e municípios a negociarem vacinas contra a covid-19, prefeitos e governadores anunciaram esta semana a compra da Sputnik V. O governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse ter fechado a compra de 9,7 milhões de doses. Já o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, prevê receber 4 milhões. O governo federal também fechou acordo nesta sexta-feira, 12, para ter 10 milhões de unidades do imunizante russo.

A Sputnik, porém, ainda não tem aprovação para uso emergencial ou registro definitivo pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). "Depois de muita luta, fechamos hoje um contrato histórico com o Fundo Soberano Russo para compra de 9,7 milhões de doses da vacina Sputnik V", disse o governador baiano no Twitter nesta sexta. 

"Como está chegando muito pouca vacina, estamos negociando essas 4 milhões de doses, que vão girar em torno de R$ 200 milhões", afirmou Kalil, em coletiva à imprensa nesta sexta. Ele disse que a compra será efetuada no momento em que a vacina estiver "dentro das leis". 

Também nesta sexta, o prefeito de Betim, Vittório Medioli (PSD), disse que o município da Grande BH "está adquirindo" 1,2 milhão de doses da Sputnik. A prefeitura de BH informou que a compra não está sendo negociada em conjunto, mas tem a mesma intermediação, do consulado russo.

Em Betim, segundo a prefeitura, a previsão é que os lotes da vacina cheguem em abril. "Com essa quantidade, vamos vacinar 600 mil pessoas, sendo toda a população de Betim e também a população flutuante do município", disse.

Já a Prefeitura de Maricá anunciou ter fechado acordo com a Rússia para a aquisição de 400 mil doses. Segundo a administração do município fluminense, as tratativas com o Fundo Russo para a compra do imunizante começaram em dezembro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.