Ambev/ Divulgação
Ambev/ Divulgação

Prefeitura, Ambev, Gerdau e Einstein vão construir centro de tratamento para coronavírus em 40 dias

Após o combate à pandemia, será entregue à Prefeitura de São Paulo e passará a integrar a rede pública de saúde do município; total de 100 leitos deve ser finalizado até 30 de abril

Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2020 | 19h15

Em meio ao avanço da pandemia do novo coronavírus pelo País, a Prefeitura de São Paulo, a Ambev, a Gerdau e o Hospital Israelita Albert Einstein anunciaram nesta terça-feira, 24, que uniram esforços para construir um novo centro de tratamento para a Covid-19. O hospital terá 100 leitos comuns que atenderá o público exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ele será construído de forma anexa ao Hospital Municipal M’Boi Mirim - Dr. Moysés Deutsch, na zona sul de São Paulo, onde o Einstein já é responsável pela gestão.

As obras começaram nesta terça e nova área terá seus primeiros 40 leitos entregues em 20 dias, segundo comunicado enviado em primeira mão ao Estadão/Broadcast. O total de 100 leitos deve ser finalizado até 30 de abril. A unidade de saúde não se trata de um hospital de campanha, sendo assim, após o combate à pandemia, será entregue à Prefeitura de São Paulo e passará a integrar a rede pública de saúde do município. O custo do empreendimento está estimado em R$ 10 milhões e os organizadores buscam mobilização de empresas para transformar os leitos comuns em estruturas de UTI.

“Esse momento pede colaboração e união de esforços. Cada um deve fazer o que está ao seu alcance para, juntos, superarmos essa situação o quanto antes”, diz Jean Jereissati, CEO da Ambev. A fabricante de bebidas, que fará a gestão do projeto e arcará com os custos de construção, informa que os leitos serão estruturados a partir de técnica de construção modular, criada pela Brasil ao Cubo, uma construtech brasileira. Essa técnica permite entregar obras em caráter definitivo e com velocidade que já que é quatro vezes mais rápida do que uma construção comum.

O Hospital Israelita Albert Einstein ficará com a gestão do atendimento. Aproximadamente 200 profissionais entre médicos e equipe multidisciplinar, que integram a equipe do Einstein, serão deslocados para a nova unidade, que contará com atendimento 24h. A Gerdau, que providenciará a estrutura metálica da construção, reforça que “o momento pede colaboração”. O aço fornecido pela empresa é a principal matéria-prima para o método construtivo escolhido.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.