Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Prefeitura de SP avalia internar pacientes de coronavírus em hotéis

Governo municipal já avalia que hospitais de campanha no Pacaembu e no Anhembi, que terão 2 mil leitos, podem não dar conta da demanda nas próximas semanas se a crise se agravar

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2020 | 11h49

SÃO PAULO - Mesmo com a expectativa de construção de mais 2.000 leitos de internação de baixa e média complexidades no Estádio do Pacaembu e no Complexo do Anhembi, a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo visitou hotéis da cidade neste fim de semana para avaliar a possibilidade de internar pacientes com o novo coronavírus em quartos do complexo hoteleiro da cidade.

A ideia veio a partir de sugestão de uma rede de hotéis, que depois se ampliou para outras redes. O principal entrave, segundo as primeiras avaliações, é a presença de carpetes nesses locais, tipo de piso que não pode ser limpo da forma que as instalações de saúde precisam ser para garantir a esterilização.

Entretanto, um dos hotéis já foi requisitado. Todos os 700 quartos do hotel Holiday Inn do Complexo do Anhembi foram cedidos à Prefeitura, segundo o secretário de Saúde, Edson Aparecido. “Eles vão ser usados pelos profissionais que vão trabalhar no hospital de campanha que vai funcionar no Anhembi, caso o médico, o enfermeiro queira ficar hospedado lá”, disse o secretário.

A avaliação da Prefeitura é de que é preciso reforçar a estrutura para que, daqui há duas semanas, quando a crise deve se agravar, haja ainda espaço para ampliar o atendimento caso a demanda por vagas seja ainda maior que os 2.000 leitos extras que serão montados no Anhembi e Pacaembu e os quase 500 leitos novos de UTI.

O prefeito Bruno Covas, que visitou as obras do hospital de campanha do Estádio do Pacaembu na manhã desta segunda-feira, 23, afirmou que cerca de R$ 2 bilhões que a Prefeitura tinha em caixa para obras neste ano devem ser transferidas para o enfrentamento do novo coronavírus. 

Além disso, “com o decreto de calamidade pública, não precisaremos cumprir metas fiscais deste ano", disse o prefeito, ao afirmar que há recursos para a cidade enfrentar a doença. 

Os hospitais de campanha devem começar a funcionar na semana que vem. 

Procurada para detalhar os efeitos da medida, a rede de hotéis Holiday Inn não se manifestou até as 22h desta segunda-feira, 23. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.