Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
WILTON JUNIOR / ESTADÃO
WILTON JUNIOR / ESTADÃO

Prefeitura do Rio mantém veto no acesso às praias aos finais de semana

Medidas de contenção contra a covid-19 seguem em vigor até o próximo dia 10; Bares e lanchonetes podem funcionar com uma hora a mais para finalizar pedidos

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2021 | 12h09

RIO - A prefeitura do Rio de Janeiro prorrogou até o próximo dia 10 a validade das medidas de restrição contra a covid-19 em vigor na cidade. Com isso, a permanência nas praias aos finais de semana seguirá proibida pelo menos nos próximos dois finais de semana.

O decreto que manteve as medidas restritivas foi publicado na manhã desta sexta-feira, 30, no Diário Oficial do município. Praticamente não houve mudanças em relação àquele que já vigorava. 

A alteração ficou por conta da autorização para que bares, restaurantes e lanchonetes - que só podem funcionar até as 22h e com 40% da capacidade - tenham uma hora a mais para finalizar pedidos e fechar as contas dos clientes.

Assim, continua vetada a permanência de pessoas nas ruas entre 23h e 5h. E praias, parques e cachoeiras permanecem liberados apenas de segunda a sexta-feira. Festas e casas de shows continuam proibidas. 

Núnero de mortes no Rio

O Estado do Rio de Janeiro registrou 347 mortes por covid-19 e 4.080 novos casos da doença no período de 24 horas, segundo boletim divulgado na tarde desta quinta-feira (29) pela secretaria estadual de Saúde. Até agora, 43.965 pessoas morreram em função do coronavírus no Estado do Rio, que registra 737.844 casos da doença. A capital concentra tanto o maior número de mortes (23.710) como o maior número de casos no Estado (258.038).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.