Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Prefeitura do Rio proíbe floreiras e vasos com água nos cemitérios

Objetivo da medida é combater o mosquito transmissor da dengue, que prolifera na água acumulada nos recipientes

Central de Notícias,

12 de setembro de 2011 | 18h48

SÃO PAULO - A Prefeitura do Rio proibiu a utilização e manutenção de recipientes que retenham e acumulem água nos cemitérios públicos e particulares com o objetivo de combater a dengue. Estão proibidos o uso de floreiras, vasos, canaletas e reservatórios, caixas d'água descobertas, flores artificiais e similares.

Portaria da Coordenadoria de Controle de Cemitérios e Serviços Funerários, vinculada ao órgão municipal, foi divulgada nesta segunda-feira, 12, no Diário Oficial do Município, e visa o combate ao mosquito Aedes Aegypt, transmissor da dengue.

A proibição nos cemitérios, para evitar a proliferação do mosquito, integra as ações da Prefeitura, que em decreto de 31 de agosto determinou Estado de Alerta contra a Dengue na Cidade do Rio de Janeiro.

Os administradores dos cemitérios deverão fiscalizar permanentemente essa proibição, obrigando-se à retirada imediata do que estiver em desacordo com a determinação daquela coordenadoria. Caso contrário, estarão sujeitos às sanções previstas no artigo 2º do decreto 9532/90. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.