Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Prefeitura do Rio prorroga medidas restritivas contra covid-19 até 14 de junho

Entre as restrições, está a proibição de público em estádios durante partidas de futebol; município vai sediar a Copa América

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2021 | 11h44

 

RIO - Às vésperas de sediar a Copa América, o município do Rio de Janeiro permanece sob alto risco de contágio por covid-19, segundo o 22º Boletim Epidemiológico da Covid-19, divulgado nesta sexta-feira, 4, pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). As medidas restritivas em vigor na cidade foram prorrogadas até o dia 14 de junho. Entre elas, está a proibição de público em estádios durante partidas de futebol.

O Rio foi anunciado como uma das sedes da Copa América 2021 após a transferência do campeonato para o País, diante da desistência de Argentina e Colômbia de realizarem o evento em meio à pandemia. "Não fomos consultados formalmente", afirmou o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

O campeonato tem oito partidas previstas na capital do Rio de Janeiro: sete delas no Estádio Nilton Santos, o Engenhão, na zona norte da cidade, a partir de 14 de junho, e mais a final no estádio do Maracanã, em 10 de julho.

"Aqui não tem decisão política, nem contra nem a favor. O que comanda a política municipal no combate à pandemia são as autoridades sanitárias do município", ressaltou Paes em coletiva de imprensa.

Eduardo Paes se queixou que os organizadores do evento ainda não consultaram formalmente as autoridades sanitárias do município nem prestaram informações sobre as questões referentes à realização do campeonato.

"Não quero ficar lendo pela imprensa", lamentou Paes. "Estou fazendo uma reclamação pública. Está na hora de procurar as autoridades sanitárias", disse.

Quanto à necessidade de barreiras sanitárias para receber eventuais torcedores de outros países, o prefeito lembrou que as fronteiras do Brasil estão abertas atualmente e que esse tipo de controle é feito por autoridades federais responsáveis pela vigilância sanitária. No entanto, a evolução da pandemia no município será observada nas permissões e medidas restritivas em vigor à época da realização do campeonato.

"A gente tem uma regra, a gente de fato permite jogo sem torcida", completou. "Se essas autoridades sanitárias perceberem qualquer risco, a gente vai tomar medidas", afirmou Paes.

O avanço da vacinação da população contra a covid-19 no Rio de Janeiro tem reduzido a proporção de idosos hospitalizados. No entanto, ainda há 1.300 pessoas internadas simultaneamente pela doença.

O município já encerrou a vacinação dos grupos prioritários e 2.229.647 de pessoas já foram vacinadas com a primeira dose, o equivalente a cerca de 42% da população adulta. A segunda dose da vacina já foi aplicada em 965.331 moradores da cidade.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

A prefeitura anunciou que vacinará nas próximas duas semanas todos os profissionais de educação pública e privada, além de manter o calendário de vacinação da população em geral com idade a partir de 18 anos.

Eduardo Paes disse que o fornecimento de vacinas tem sido regular, especialmente as remessas previstas pela Fiocruz de doses da Astrazeneca.

"Não é impossível acelerar esse processo (de vacinação da população)", disse Paes. "A gente foi até conservador (no calendário), três dias para cada idade", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.