Prefeitura interdita parque e clube restringe acesso por febre amarela em Jundiaí

Vinte e sete macacos foram encontrados mortos na região

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2017 | 03h00

SOROCABA - Duas grandes áreas de lazer estão com restrição de acesso em Jundiaí, interior de São Paulo, por causa do risco de febre amarela. A prefeitura interditou o Parque do Corrupira, muito procurado pela população para caminhadas e piqueniques, depois que 27 macacos foram encontrados mortos na região. Já a direção do Grêmio Clube de Campo acatou recomendação da Unidade de Vigilância em Zoonoses e vetou a entrada de pessoas não vacinadas em sua sede campestre, no Bairro Caxambu. Quatro macacos foram achados mortos nas matas do local.

De acordo com o clube, a restrição é por tempo indeterminado e atinge apenas os frequentadores que não comprovem terem sido vacinados há, pelo menos, dez dias da data do acesso. Após a confirmação da morte de um macaco com febre amarela nas matas do clube, uma equipe da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) encontrou no local populações de mosquito Sabethes, que é transmissor da doença. De acordo com a direção, o veto é temporário e visa a evitar a exposição dos frequentadores à possível contaminação.

Macacos. Em Itatiba, foi confirmada a morte de mais um macaco com a febre amarela - agora são 14 primatas com resultado positivo para a doença no município. Desde a confirmação da morte de um idoso de 76 anos com a febre, no último dia 18, a vacinação foi intensificada na cidade. O Ambulatório Central de Especialidades do Sistema Único de Saúde (SUS) passou a funcionar até 21 horas.

O paciente residia na zona rural, na divisa de Itatiba com Jundiaí. De acordo com a Secretaria de Saúde, em abril, toda a população rural já havia sido vacinada, com imunização de casa em casa. Desde o início do ano foram aplicadas 70 mil doses de vacina na cidade.

Em Campinas, a vacinação foi intensificada depois que dois saguis morreram com a doença fora da região do Distrito de Sousas, onde tinham acontecido mortes de bugios no primeiro semestre. Os saguis, animais menos sensíveis à doença, morreram no Jardim das Paineiras, região leste, e no Parque Jambeiro, na zona sul. As mortes mais recentes, segundo o Departamento de Vigilância em Saúde, indicam que o vírus está mais próximo da área urbana, o que é motivo de alerta. No sábado, 28, a Secretaria de Saúde realiza o “Dia D” contra a febre amarela. Entre 8 e 17 horas, os 64 centros de saúde vão aplicar a vacina em dose única a moradores com mais de nove meses e que ainda não foram vacinados.

 

Mais conteúdo sobre:
Jundiaí [SP] febre amarela

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.