Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Prefeitura vai fazer bloqueios de vias para evitar circulação de pessoas em SP

A partir de segunda, grandes avenidas da capital paulista funcionarão com apenas uma faixa de rolamento para motoristas

Giovanna Wolf, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2020 | 17h30

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) anunciou que a partir desta segunda-feira, 4, vias na cidade de São Paulo serão bloqueadas com o objetivo de diminuir a circulação de pessoas na capital. O bloqueio será feito em grandes avenidas de São Paulo durante o horário de pico da manhã, entre 7h e 9h, com a abertura de apenas uma faixa de rolamento para motoristas. 

De acordo com a CET, caso a adesão da população ao isolamento não aumente a partir de segunda-feira, os bloqueios em vias da cidade poderão ser realizados durante todo o dia, como tentativa de aumentar a restrição e desestimular as pessoas a saírem de casa.

Nos últimos dias, a taxa de isolamento social no Estado de São Paulo tem se mantido abaixo dos 50% — nesta quinta-feira, 30, São Paulo registrou a taxa mais baixa de isolamento social da quarentena, com apenas 46%

Na Zona Sul, será bloqueada a Avenida Moreira Guimarães com a Avenida Miruna, enquanto na Zona Norte será bloqueada a Avenida Santos Dumont com Avenida do Estado. Já na Zona Leste, a restrição atinge a Avenida Radial Leste com a Rua Pinhalzinho, e na Zona Oeste a Avenida Francisco Morato com a Rua Sapetuba.

A Prefeitura de São Paulo já havia mencionado a possibilidade de bloqueios de vias deixarem de ser “educativos”, com abordagens de profissionais de saúde e distribuição de material informativo aos motoristas, para se tornarem “efetivos”. O secretário municipal de Saúde da capital, Edson Aparecido, também disse nesta semana que a Prefeitura iria ampliar quarentena e aumentar restrição à circulação na capital paulista

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.