Prejudicados devem procurar ANS em São Paulo

Em nota, a Agência Nacional de Saúde Suplementar destacou que a intervenção e liquidação da Di Thiene ocorreram em razão do não cumprimento "da exigência de envio de informações de natureza econômico-financeiras, não constituição de ativos garantidores em montante suficiente para lastrear as provisões técnicas e não apresentação do plano de recuperação".

Fabiane Leite,

11 Dezembro 2010 | 04h47

Sobre os casos encaminhados pelo Procon de não acolhimento de usuários pela Amil, a agência informou que a operadora foi procurada e teria comprovado que os pacientes foram inseridos em sua carteira, o que gerou o arquivamento do processo. Porém, pelo menos uma pessoa, Judith Gardesani, só conseguiu ser incluída por ordem judicial.

A agência recomendou que ex-beneficiários da Di Thiene que tiverem denúncias ou dúvidas procurem a ANS em São Paulo (Rua Bela Cintra, 986 - 5º andar). Outra opção é o Disque ANS, pelo 0800 701-9656.

A Amil destacou que "acata todas as determinações normativas e que não negou pedido de portabilidade".

Mais conteúdo sobre:
VidaANSSaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.