Gustavo Amador/Efe
Gustavo Amador/Efe

Presa de mastodonte de 12 mil anos é encontrada na capital de Honduras

Área onde foi localizada a presa passa por obras para a construção de prédio comercial

Efe

03 Junho 2011 | 15h44

Tegucigalpa - A presa de um mastodonte que supostamente viveu há cerca de 12 mil anos foi encontrada nesta semana no extremo oriental de Tegucigalpa, informou nesta sexta-feira o diretor do Instituto Hondurenho de Antropologia e História (IHAH), Virgilio Paredes.

O funcionário explicou que o achado foi registrado no setor do bairro Miraflores, área onde começou a construção de um edifício da estatal Empresa Nacional de Energia Elétrica (ENEE) e acrescentou que se trata de uma "presa de animais que datam de 12 mil a 15 mil anos a.C".

A presa "é da época do pleistoceno" e pode medir entre 1 e 2 metros, enfatizou Paredes, que também disse que dois arqueólogos mexicanos começaram a pesquisa na terça-feira passada.

"Falta saber se é a presa de um mamute, vamos analisar, este é um momento histórico para Tegucigalpa e para Honduras porque nos põe em nível mundial na pesquisa arqueológica", disse o diretor do IHAH.

Paredes também lembrou que há 12 anos, quando se construía o que agora é o centro cultural Chiminique, no mesmo setor de Miraflores, um grupo encontrou uma costela de mamute.

A área onde se produziram os dois registros é conhecida como o Centro Cívico Governamental, um projeto concebido nos anos 1970 para construção de edifícios das principais instituições do Governo.

Até agora, os principais edifícios construídos na região são o da Corte Suprema de Justiça, a Secretaria de Relações Exteriores, o Tribunal Superior de Contas e o centro cultural Chiminique.

Mais conteúdo sobre:
mastodonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.