Presença de mercúrio em vacinas não causa problemas, diz OMS

Utilização do metal como um conservante não é prejudicial nas vacinas contra a gripe A, afirma a OMS

Efe,

10 de novembro de 2009 | 16h09

A presença de mercúrio em algumas vacinas contra a gripe A não representa perigo, já que o metal é usado nelas como um conservante, disse nesta terça-feira, 10, um porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS), Gregory Hartl.

 

Veja também:

linkFrança faz campanha de vacinação contra gripe suína

linkEUA vivem corrida por vacina contra gripe A 

 

Em entrevista coletiva, Hartl acrescentou que mesmo crianças de 5 anos devem se vacinar, já "que com frequência elas desenvolvem doenças mais severas e é preciso pesar na balança os benefícios e os riscos". Ele reiterou que a OMS considera a vacinação a principal arma contra a propagação da epidemia de gripe A.

 

Sobre a notícia dada esta manhã de que a farmacêutica GlaxoSmithKline doará 50 milhões de vacinas contra a gripe A, a OMS lembrou que as doses fazem parte das doações que a organização espera receber para redistribuí-las a 95 países em desenvolvimento. Hartl admitiu que as vacinas doadas serão entregues às nações pobres por etapas. A distribuição começará no fim do mês e vai se estender até março.

Tudo o que sabemos sobre:
OMSvacinagripe suínagripe Amercúrio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.