Presidente sorridente inspira batismo do pré-histórico 'Obamadon'

Pesquisadores batizaram um recém-descoberto lagarto pré-histórico como "Obamadon gracilis" em homenagem ao sorriso cheio de dentes do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Reuters

11 Dezembro 2012 | 20h19

O pequeno lagarto insetívoro foi descoberto inicialmente em 1974 no leste de Montana, mas uma recente reavaliação mostrou que o fóssil havia sido erroneamente classificado como um "Leptochamops denticulatus", tratando-se, na verdade, de uma espécie até então desconhecida, disseram pesquisadores à Reuters nesta terça-feira.

O "Obamadon gracilis" foi uma das nove espécies recém-descobertas a serem apresentadas na edição de segunda-feira da revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Para batizar a nova espécie, cientistas das universidades Yale e Harvard combinaram o termo latino "Obamadon" (dentes de Obama) e a palavra "gracilis" (esguio).

"O lagarto tinha esses dentes muito altos e fortes e Obama tem esses incisivos altos e fortes, e um grande sorriso", disse o paleontólogo Nick Longrich, que participou do trabalho.

Acredita-se que o bicho tenha vivido no período Cretáceo, que começou há cerca de 145,5 milhões de anos. Junto com muitos dinossauros daquela época, o lagarto se extinguiu há cerca de 65 milhões de anos, quando um asteroide gigante atingiu a Terra, segundo cientistas.

Longrich disse que esperou até a recente eleição norte-americana para batizar o lagarto.

"Romneydon", em alusão ao candidato derrotado Mitt Romney, não chegou a ser um nome considerado, e "Clintondon" não soava bem, disse Longrich, que apoiou a frustrada pré-candidatura de Hillary Clinton contra Obama nas primárias democratas de 2008.

Obama não é o primeiro político a inspirar um nome científico.

O "Megalonyxx jeffersonii", um extinto bicho-preguiça terrestre e vegetariano, deve seu nome a Thomas Jefferson, que foi presidente dos Estados Unidos e, como paleontólogo amador, estudou esse mamífero.

Em 2005, três besouros da América do Norte foram batizados como "Agathidium bushi", "Agathidium cheneyi" e "Agathidium rumsfeldi" em homenagem a George W. Bush, Dick Cheney e Donald Rumsfeld, que eram respectivamente presidente, vice-presidente e secretário de Defesa.

Outras celebridades também já emprestaram seus nomes a novas espécies. Um pequeno crustáceo do Caribe leva o nome de Bob Marley, ícone do reggae; a cantora Beyoncé batiza um mosquito australiano; e Hugh Hefner, criador da revista Playboy, dá nome a uma espécie ameaçada de coelho selvagem que habita pântanos.

(Reportagem de Jason McLure, em Littleton)

Mais conteúdo sobre:
CIENCIALAGARTOOBAMADON*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.