Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Presídio onde idoso morreu de covid-19 no Rio teve outras quatro mortes em duas semanas

Idosos também apresentaram sintomas como falta de ar, e um deles fez o teste para o coronavírus; secretaria fala em ‘doenças cardiovasculares’

Caio Sartori, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2020 | 15h42

RIO - Além de confirmar a primeira morte de um detento por covid-19 no sistema penitenciário do Rio, o Instituto Penal Cândido Mendes, no Centro da cidade, teve outros quatro óbitos de idosos nas últimas duas semanas. Segundo apurou o Estado, todos apresentaram sintomas como falta de ar e tiveram contato com Fernando Pinto da Silva, homem de 73 anos que morreu nesta quarta-feira, 15. 

Os outros quatro idosos morreram entre os dias 3 de abril e esta sexta-feira, 17. O primeiro chegou a ser levado para a emergência duas vezes. Depois dele, os óbitos aconteceram nos dias 9, 13, 15 e 17. Dois deles, incluindo Fernando, passaram pelo teste para identificar se foram infectados pelo novo coronavírus. O outro está com o resultado pendente. 

Procurada, a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) disse que as outras três mortes se deram por “doenças cardiovasculares” —  que costumam ser um agravante para a covid-19. Até o momento, a Seap não respondeu se esses três chegaram a fazer o teste de coronavírus.

O Estado também apurou que, diariamente, pelo menos quatro presos da unidade estão sendo levados para a emergência nas últimas semanas. O Instituto Penal Cândido Mendes é voltado para pessoas com idade superior a 60 anos. Hoje, segundo a Seap, 305 detentos ocupam o local, cuja capacidade original é para 246 presidiários. 

De acordo com uma fonte ouvida pela reportagem, os idosos que morreram neste mês estavam bem de saúde até apresentarem os sintomas. Funcionários do local estão preocupados com a suposta falta de estrutura para lidar com possíveis infectados. Há relatos de que os presos estão sem a proteção necessária para evitar a propagação do vírus, apesar de a Seap garantir que quem teve contato com Fernando Pinto da Silva está isolado. 

Primeira morte por covid-19 confirmada em um presídio do Rio, Fernando não resistiu à doença nesta quarta-feira, após ter sido levado três vezes para um pronto-socorro no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste. O resultado do teste para o novo coronavírus ficou pronto na noite desta quinta-feira e deu positivo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.