Joédson Alves/ EFE
Joédson Alves/ EFE

Primeira vítima de coronavírus na Bahia fez uso de cloroquina

Homem de 74 anos ficou internado durante 12 dias; Secretaria de Saúde e Hospital da Bahia confirmam tratamento com medicação em fase inicial de estudos

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2020 | 18h39

A primeira vítima do novo coronavírus na Bahia fez uso de cloroquina durante cinco dias antes da morte, confirmada neste domingo (29). O homem de 74 anos ficou internado durante 12 dias no Hospital da Bahia. A informação do tratamento foi confirmada ao Estado pela Secretaria de Saúde local.

A cloroquina ainda está em fase inicial de estudo. O Ministério da Saúde informou que se trata de medicamento auxiliar a ser dado apenas a pacientes em estado grave da doença. Médicos e especialistas afirmam que não existem evidências científicas de que o medicamento seja eficaz contra o novo coronavírus.

Embora as pesquisas laboratoriais tenham mostrado bons resultados, ainda existem pelo menos outras três etapas: testes em camundongos, estudos em animais não roedores, como cães e macacos e, finalmente, estudos em humanos. Os testes em humanos se dividem em outras etapas até se descobrir o nível de toxicidade do remédio, interação com outros medicamentos e efeitos colaterais.

O medicamento gerou polêmica depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu a liberação do remédio pelos órgãos de saúde pública e após o presidente Jair Bolsonaro anunciar que o laboratório do Exército passaria a produzir o medicamento no Brasil.

Superintendente-executivo do Hospital da Bahia, o médico Marcelo Zollinger explicou o uso do medicamento. "Esse paciente foi a outro hospital, não foi nosso inicialmente. Quatro dias depois de ter ido para casa, ele nos procurou com quadro muito grave, com desconforto respiratório grave. Ele foi entubado na emergência e começamos a lutar com ele. Com instabilidade hemodinâmica, suporte ventilatório e falência renal, nós introduzimos a cloroquina. Temos um protocolo que ainda está no início, como todas as publicações. Depois de 12 dias, ele veio a falecer. Foi um trauma para todos nós. Foi o primeiro caso de óbito por covid no hospital. Ele era hipertenso e ex-tabagista. Depois, verificamos que tinha enfisema pulmonar", disse o especialista.  

O homem de 74 anos, que tem parentes em São Paulo, participou de uma Convenção em Itu, interior do estado, e passou a sentir desconforto. No dia 13, ele foi diagnosticado com quadro clínico leve em outro hospital da rede privada de Salvador. Ele fez o teste para covid-19 e foi encaminhado para casa. Quatro dias depois, ele deu entrada no setor de emergência do Hospital da Bahia com insuficiência respiratória severa. O diagnóstico positivo para novo coronavírus saiu quando a vítima já estava na unidade. Depois de 12 dias de internação, ele faleceu. 

Oficialmente, a Bahia possui 127 casos da doença até o momento. O primeiro caso foi registrado no dia 6 de março, em Feira de Santana.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.