Timur Matahari/AFP
Timur Matahari/AFP

Primeiras doses da vacina de Oxford fabricada na Fiocruz serão entregues na quarta-feira

Instituição prevê entregar ao Ministério, ao longo do mês de março, 3,8 milhões de doses

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2021 | 16h46

RIO - A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou nesta segunda-feira, 15, que vai entregar na próxima quarta-feira, 17, ao Ministério da Saúde as primeiras 500 mil doses de vacinas contra a covid-19 produzidas pela instituição. É a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, cuja técnica de fabricação é dominada pela Fiocruz, entre outras instituições pelo mundo.

Na sexta-feira, 19, devem ser entregues mais 580 mil doses, totalizando 1 milhão e 80 mil. A distribuição aos Estados caberá ao Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI). O uso do produto, porém, foi suspenso em parte dos países europeus após o registro da ocorrência de coágulos entre imunizados. A Organização Mundial da Saúde, porém, recomenda o uso do produto e a Agência Europeia de Medicamentos afirma que ainda não há indícios concretos de elo entre a vacina e os coágulos. 

A Fiocruz prevê entregar ao Ministério, ao longo do mês de março, 3,8 milhões de doses. Na última sexta-feira, 12, uma segunda linha de produção entrou em operação no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fiocruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz), aumentando a capacidade produtiva da fábrica de vacinas. A expectativa é chegar até o final do mês com uma produção de cerca de um milhão de doses por dia.

Com o registro definitivo concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última sexta-feira, a Fiocruz passou a ter o primeiro registro de uma vacina contra covid-19 produzida no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.