Divulgação/site Pro Teste
Divulgação/site Pro Teste

Pro Teste recomenda cautela com consumo de bebidas 'aliméticas'

Entidade de defesa do consumidor analisou produtos Beauty Drink e identificou corantes artificiais

estadão.com.br

26 de agosto de 2010 | 19h03

SÃO PAULO - Se você está apostando nos chamados nutricosméticos para combater o envelhecimento da pele, tratar celulite, aumentar a energia e a disposição e fortalecer unhas e cabelos, fique atento, pois eles não conseguem esses efeitos sozinhos. E toda atenção com relação ao rótulo é pouca, segundo constatou a entidade de defesa do consumidor Pro Teste ao analisar bebidas "aliméticas" Beauty Drink, da empresa Beauty´in.

Disponível em oito sabores, o produto tem embalagem na qual os ingredientes (em pó) ficam em um compartimento na tampa, o que promete conservar melhor as propriedades dos nutrientes. Para preparar a bebida, fala-se apenas em "girar a tampa" - no teste prático, foi constatado que é preciso fazer bastante força - e deixar o pó cair na água.

O rótulo informa que o consumo deve acompanhar uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis e não pode ser associado a bebidas alcoólicas. Crianças, gestantes, mulheres que estão amamentando, idosos e portadores de enfermidades devem consultar uma médico antes de consumi-los.

O que proporciona os efeitos prometidos dessas bebidas são as vitaminas, minerais e a taurina, um aminoácido que participa de várias funções fisiológicas importantes. Apesar de realmente ter esses componentes e estar livre de sódio e conservantes, o Beauty Drink apresenta corantes e edulcorantes artificiais.

As frutas, hortaliças e os chás anunciados, portanto, não passam de aromatizantes. Ou seja, se você comprar o Beauty Drink de framboesa, açaí e blueberry, por exemplo, que promete “vitaminar o dia”, vai consumir apenas a combinação dos aromas dessas frutas.

Se for considerado que é possível ingerir as necessidades diárias de vitaminas e minerais por meio de uma alimentação saudável, com frutas e hortaliças, o preço de cada unidade - R$ 8,89 - também se torna um pouco salgado.

Comunicado de resposta da empresa Beauty'in

Referente à matéria publicada, a Beauty’in® Comércio de Bebidas e Cosméticos Ltda. esclarece que o produto Beauty Drink® não está associado à categoria de nutricosméticos e, sim, é classificado como “composto líquido pronto para o consumo”, conforme denominação encontrada na embalagem do produto. Em nenhum momento, a empresa afirma que o produto traz benefícios sem estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos saudáveis, mas reafirma que os ingredientes utilizados na composição dos produtos trazem benefícios à saúde.

O Beauty Drink® traz em sua composição vitaminas e minerais, dentro das especificações e limites permitidos de acordo com a Resolução RDC nº 360, de 23 de dezembro de 2003, e a adição do aminoácido taurina, que segue o regulamento técnico descrito pela Resolução nº 273, de 22 de setembro de 2005. O uso de corantes e edulcorantes artificiais, assim como outros aditivos, também é regulamentado pelo Ministério da Saúde - Anvisa e é feito dentro das especificações e limites determinados pela Resolução RDC nº 5, de 15 de janeiro de 2007. Esses corantes são adicionados em quantidades mínimas à formulação, apenas para ajuste de cor em duas versões do Beauty Drink®, sem causar danos aos consumidores.

Já os edulcorantes artificiais sucralose e acessulfame de potássio seguem as diretrizes determinadas pela Resolução RDC nº 18, de 24 de março de 2008, para alimentos com informação nutricional complementar, o que atende perfeitamente às especificações apresentadas na embalagem dos produtos. Com relação ao uso de aromatizantes no lugar de frutas, hortaliças e chás, ressaltamos que eles são naturais, elaborados à base de extratos vegetais naturais. Eles são obtidos por métodos físicos, microbiológicos ou enzimáticos, a partir de matérias-primas ideais para a composição desse tipo de produto.

Com base no descrito acima, os extratos naturais das frutas e vegetais utilizados e declarados conforme exigência legal como “aromatizantes” foram obtidos das frutas e vegetais e se apresentam na forma de extratos. Portanto, a expressão “contém aromatizante” indica o uso de aromas naturais, que são os próprios extratos naturais do produto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.