Programa de Bush contra aids ajuda a 10 milhões no mundo

Plano para fornecer remédios e combater a doença foi uma das maiores apostas do governo americano

Efe,

13 de janeiro de 2009 | 04h09

O programa internacional contra a aids patrocinado pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, atende a mais de 10 milhões de pessoas, segundo um relatório apresentado na segunda-feira, 12, pela secretária de Estado, Condoleezza Rice. Em 2003, Bush lançou o Plano Presidencial de Emergência para Combater a Aids (Pepfar, na sigla em inglês) para fornecer remédios a pessoas infectadas com HIV e apoiar a prevenção da doença. A secretária de Estado lembrou que quando o plano foi lançado, só 50 mil pessoas com aids na África Subsaariana recebiam tratamento anti-retroviral. Já no ano passado, "antes do previsto" segundo ela, foi superada a barreira dos dois milhões. "Em 2003, quando o presidente George W. Bush anunciou o Pepfar, muitos duvidavam que a prevenção, o atendimento e o tratamento pudessem ser uma opção perante a aids", disse Rice. "No entanto, apenas cinco anos mais tarde, graças à forte associação entre o povo americano e os povos de outras nações vimos que o que se pensava que era impossível, hoje é possível", comentou a chefe da diplomacia americana. Este plano foi uma das maiores apostas do governo Bush, como parte de sua política externa, que nesses cinco anos recebeu do Executivo US$ 6 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
George Bushaidsprograma de saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.