Projeto de lei propõe aumento de até 71% no valor dos plantões de médicos de SP

Objetivo é incentivar o trabalho de profissionais de saúde em regiões carentes do Estado

Bruno Boghossian,

11 de maio de 2012 | 13h18

*Atualizado às 12h45 - 14 de maio

 

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que enviou à Assembleia Legislativa um projeto de lei para aumentar em até 71% o valor pago a médicos, enfermeiros e fisioterapeutas plantonistas no Estado. O objetivo é incentivar o trabalho de profissionais de saúde em regiões carentes de São Paulo.

Em áreas consideradas de difícil fixação de médicos, o aumento será maior: de R$ 660 para R$ 1.130,71 por plantão de 12 horas. Em outras regiões, o valor será reajustado para R$ 785,40 e R$ 942,48 - dependendo da carência de profissionais.

"Às vezes você não tem dificuldade em contratar um profissional na área central, mas tem muita dificuldade na periferia", disse Alckmin. "Não tem saúde sem recursos humanos valorizados."

O reajuste do valor dos plantões vai custar ao Estado R$ 210,5 milhões por ano. Farmacêuticos, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e cirurgiões dentistas também serão beneficiados.

A proposta ainda precisa ser aprovada pelos deputados estaduais paulistas. O governo também quer criar um novo plano de carreira para os médicos de sua rede.

Tudo o que sabemos sobre:
médicosplantonistasSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.