NONSAP VISUALS/UNSPLASH.COM
NONSAP VISUALS/UNSPLASH.COM

Quais cuidados ter com os olhos ao longo da vida?

Desde os primeiros meses de vida até a terceira idade, a saúde oftalmológica precisa de atenção. Diminuir o tempo nas telas e melhorar a alimentação já é um bom começo para prevenir problemas

Ana Lourenço, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2022 | 05h00

No último fim de semana, o apresentador Tiago Leifert e sua esposa, a jornalista Daiana Garbin, foram a público falar sobre retinoblastoma, câncer raro nos olhos diagnosticado em sua filha Lua. Os dois reforçaram a importância de levar a criança a um oftalmologista logo nos primeiros meses de vida para exames preventivos. 

Ao longo da vida, os cuidados com os olhos – que traduzem 80% das informações que recebemos para o cérebro – devem permanecer. Em cada fase, há questões específicas para se atentar. Confira.

Cuidado com as telas 

Com o aumento do uso do celular e computadores, especialmente durante a pandemia, o cuidado com os olhos passou a ser ainda mais necessário. De acordo com levantamento do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) feito em 2021, 72% dos oftalmologistas entrevistados relatam maior detecção de miopia na faixa etária de 0 a 19 anos.

“Além da diminuição do uso do celular, que faz com que os olhos permaneçam focados e próximos da tela durante longos períodos, é importante o contato indireto com o sol, pelo menos uma hora por dia. A dopamina retiniana, que é regulada pela iluminância da retina, ajuda a reduzir a incidência de miopia”, explica Minoru Fujii, oftalmologista do Hospital Cema. A cada hora de trabalho, tente pausar alguns minutos e olhar para o infinito enquanto pisca. Isso relaxa a musculatura, garantindo que você chegue ao fim do dia mais confortável.

Observação constante

O teste do olhinho é feito ainda na maternidade, onde é avaliado o reflexo vermelho de ambos os olhos e sua assimetria. Caso o reflexo seja esbranquiçado, ele pode ser indício de retinoblastoma, o tipo de câncer diagnosticado em Lua, de apenas 1 ano e 3 meses. 

“Observar as crianças e como elas usam o sistema visual é a melhor maneira de prevenir doenças”, explica a oftalmologista Anna Luisa Hofling. “A função dos pais é ficar realmente atentos. Além de fazer alguns testes em casa, o ideal é que um oftalmologista avalie seu filho ainda no primeiro ano de vida.”

Lubrificação dos olhos

Além de problemas com as telas, pessoas que moram em grandes cidades devem tomar cuidado também com a irritação causada pela poluição, o que pode gerar a síndrome do olho seco. A solução é um colírio lubrificante, normalmente usado quatro vezes ao dia, para aliviar os sintomas. “Os colírios que são lubrificantes ou substitutos da lágrima têm polímeros diferentes, além de alguns terem conservantes. Esses podem causar irritação da superfície do olho”, explica Anna. 

Se a frequência de uso do colírio for alta e os sintomas persistirem, deve-se ter orientação oftalmológica. Independentemente do caso, evite coçar os olhos. “Isso pode até causar descolamento de retina e gerar uma alteração da córnea chamada ceratocone”, alerta Minoru. Se a vontade for irresistível, coce próximo ao osso, e não o globo ocular. Sempre de maneira gentil e com o dorso da mão.

Prevenção nas consultas 

Principalmente na terceira idade, ao redor dos 60 anos, temos de aumentar os cuidados. Além da catarata, doença ocular mais frequente nos idosos, as chances do glaucoma aumenta e existe o risco da degeneração macular relacionada à idade. Por isso, nessa fase é indicado que a pessoa vá pelo menos uma vez ao ano ao médico para saber se a pressão ocular está boa.

Sono e alimentação

Independentemente da fase da vida, a saúde ocular envolve ingestão de água, alimentação balanceada e sono. “Havia um estudioso que falava que a saúde também passa pela quitanda. Isso porque as vitaminas são importantes para os olhos. Existem duas substâncias chamadas luteína e zeaxantina que, com o passar do tempo, vão diminuindo no organismo, e previnem doenças oculares. Então é bom que a gente tenha um equilíbrio na alimentação”, diz Minoru.

A importância do sono vem do perigo de ficar um longo período com os olhos abertos. Isso afeta as estruturas oculares, pois diminui o tempo de lubrificação que acontece no período da noite. Noites mal dormidas, que afetam a imunidade, também podem facilitar os casos de conjuntivite viral, alérgica e bacteriana. 

Como cuidados extras, atente-se para a qualidade dos seus óculos de sol, não durma com maquiagem e, ao lavar o rosto, limpe delicadamente os olhos. Isso ajuda a remover impurezas e secreções e evitar futuras coceiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.